Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PM lança gás de pimenta contra professores no Rio

Grupo protestava no entorno da Câmara de Vereadores, desocupada no sábado

Um policial militar lançou jatos de gás de pimenta, no início da tarde desta segunda-feira, contra professores em greve que protestavam na Rua Alcindo Guanabara, perto da entrada lateral da Câmara Municipal do Rio, no Centro.

Márcia Foletto / Agência O Globo

PMs cercam Câmara para impedir a entrada de professores

A Câmara foi desocupada à força por PMs na noite de sábado, e desde então policiais cercam a Casa. Desde o início da manhã desta segunda PMs fazem um cordão de isolamento, permitindo a entrada apenas de funcionários e impedindo o acesso de outras pessoas, incluindo jornalistas.

Manifestantes também formaram um cordão para impedir a saída de PMs e funcionários. A ação do policial, identificado como Pinto, ocorreu quando ele tentava passar pelos manifestantes, acompanhando uma funcionária da Câmara.

Jornalistas também foram atingidos pelo gás de pimenta. Está convocada para as 17 horas desta segunda uma manifestação na Cinelândia. O clima é de tensão, com empurra-empurra e bate-boca entre policiais e manifestantes.

Proposta – Apesar da mobilização e dos protestos, o prefeito Eduardo Paes afirmou nesta manhã que está mantida a decisão de encaminhar o Plano de Cargos e Salários da categoria para a votação na terça-feira, dia 1º de outubro. O prefeito alega que o pedido de urgência na votação do projeto foi uma exigência do sindicato dos professores, em acordo assinado com representantes da Secretaria Municipal de Educação.

Leia também:

Professores do Rio farão novo protesto nesta segunda-feira

Eduardo Paes recorre a aliados para conter greve de professores

(Com Estadão Conteúdo)