Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PM é o primeiro preso em investigação de chacina na Grande São Paulo

Soldado integrante das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar foi reconhecido em uma fotografia mostrada a uma testemunha

Um soldado integrante das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) está preso administrativamente sob suspeita de envolvimento na chacina de Osasco e Barueri, que deixou 18 mortos no dia 13 de agosto. O PM foi reconhecido em uma fotografia mostrada a uma testemunha, que o identificou como autor dos disparos que feriu uma pessoa na Rua Suzano, no bairro Vila Menck, em Osasco, um dos 10 pontos do ataque.

O policial, de 30 anos, é o primeiro suspeito preso nas investigações do caso. Segundo o telejornal SPTV, da Rede Globo, o homem nega o crime e alega que estava com a namorada na noite da chacina. Até o momento, a Corregedoria da polícia já ouviu 54 PMs, e há 18 suspeitos.

LEIA TAMBÉM:

Corregedoria ouve 32 PMs sobre chacina em São Paulo

Investigação de chacina em SP abre crise entre polícias

O ataque na Rua Suzano deixou dois feridos e foi o sétimo ponto da chacina, às 22h na noite das mortes. A força-tarefa que investiga as mortes acredita que todos os homicídios tenham sido praticado por três grupos, ligados entre si. Além da prisão, a Justiça Militar expediu mandado de busca e apreensão na residência do policial e de outros 17 PMs, além de um civil.

(Com Estadão Conteúdo)