Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Picciani e alta no mercado imobiliário nas manchetes de 17/11/17

Alerj se mobiliza para decidir se mantém prisão de deputados

Por Da redação 17 nov 2017, 07h59

Votação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro sobre a prisão de seu presidente, Jorge Picciani, e alta no mercado imobiliário estão nas manchetes dos principais jornais do dia nesta sexta-feira. Segundo o Globodeputados se mobilizaram para decidir nesta tarde se mantêm decisão do TRF da 2ª Região sobre prisão de Picciani e mais dois parlamentares. No Estado de S.Pauloconstrutoras que atuam no segmento das moradias populares lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas no terceiro trimestre. Presidente Michel Temer freia incentivos ao setor automobilístico na Folha de S.Paulo.

O Globo
Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj
Picciani e os deputados estaduais Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, se apresentaram à PF logo depois de a prisão ser decretada por unanimidade pelo TRF da 2ª Região e foram levados ao presídio de Benfica, o mesmo de Cabral. Mas a Alerj marcou votação em que decidirá se derruba as prisões. O trio conta com o apoio de grande parte dos colegas, mas a pressão popular pode complicar uma decisão a favor dos detidos. 

Bretas: corrupção no Rio ‘é uma metástase’
Em entrevista ao jornal, Marcelo Bretas, juiz que comanda a Lava-Jato no Rio, diz que ficou assustado com a extensão e a capilaridade do esquema de corrupção no estado: “Parece que tem mais gente envolvida do que não envolvida. É uma metástase”.

O Estado de S.Paulo
Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário 
No terceiro trimestre, Direcional, MRV e Tenda responderam por dois terços dos lançamentos e das vendas entre as 11 incorporadoras listadas na Bolsa. Juntas, as três lançaram empreendimentos com R$ 2,02 bilhões em valor geral de vendas, crescimento de 55,5% na comparação anual.

Folha de S.Paulo
Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa
O governo federal não autorizará a implementação do Rota 2030, programa industrial que substituiria o Inovar Auto a partir de 2018, até que o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia seja fechado. O presidente Michel Temer não quer pôr em risco a chance de concluir o pacto comercial com os europeus.

Valor Econômico
Finame reduz rigor com índice de nacionalização
O BNDES decidiu reduzir o rigor na forma de cálculo do índice de nacionalização exigido no financiamento de bens de capital (máquinas e equipamentos). O índice continuará sendo de 50%, mas o banco incluirá cinco fatores “intangíveis” que, uma vez identificados, diminuirão a exigência.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)