Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PF prende José Rainha por desvio de verba pública

Fundador do MST chefiava organização criminosa. Dezessete pessoas foram presas por embolsar dinheiro que deveria ir para assentados da reforma agrária

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira um dos fundadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), José Rainha. Segundo a investigação da PF, Rainha chefiava uma organização criminosa que desviava verbas públicas destinadas aos assentamentos de reforma agrária. A quadrilha agia no Pontal do Paranapanema, em São Paulo. Acervo Digital VEJA: A esquerda delirante e o beato Rainha Rainha e outros dezesseis presos na Operação Desfalque prestavam depoimento na sede da PF em Presidente Prudente por volta das 10 horas. Em seguida, eles serão levados para o Centro de Detenção Provisória de Caiuá, no interior paulista. O grupo criminoso utilizava associações civis, cooperativas e institutos para se apropriar ilegalmente de recursos públicos destinados à manutenção de assentados em áreas desapropriadas para reforma agrária. São investigados crimes de extorsão contra proprietários de terras invadidas, estelionato, peculato, apropriação indébita de recursos de assentados, formação de quadrilha e extração ilegal de madeira de áreas de preservação permanente. Além dos dez mandados de prisão temporária, a polícia cumpriu sete ordens de condução coercitiva e treze mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da 5ª Vara da Justiça Federal. A investigação levou dez meses e foi conduzida pelo delegado federal Ronaldo de Góes Carrer. Dissidente – Um dos fundadores do MST, rainha comanda atualmente uma dissidência do movimento. Até 2009 ele era coordenador nacional da organização, mas foi excluído da direção nacional do MST e desautorizado a falar em nome do movimento, por divergências políticas. Ainda assim, Rainha continuou usando a sigla e a bandeira da organização e concentrou sua ação no Pontal do Paranapanema.