Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PF prende 40 pessoas no MT por tráfico internacional de drogas

Investigações mostraram que a quadrilha usava empresas fantasmas e contratos com órgãos municipais para lavar dinheiro

Por Da Redação 8 jul 2015, 11h48

A Polícia Federal prendeu quarenta pessoas nesta quarta-feira, durante a Operação Hybris, por tráfico internacional de drogas. A quadrilha atuava no Mato Grosso, nos municípios de Pontes e Lacerda, e comercializava as drogas na Europa e em vários estados brasileiros.

As investigações que identificaram o grupo tiveram início em 2013, quando foi deflagrada a Operação Sentinela do Ministério da Justiça. Na ocasião, descobriu-se que a quadrilha era responsável por carregamentos de cocaína, oriunda da Bolívia, para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Pará, Maranhão e para o continente europeu.

Leia também:

Operação desarticula esquema de fraude com notas fiscais

PF prende quatro policiais ligados a grupo de extermínio em Alagoas

Continua após a publicidade

PF desarticula esquema de corrupção na Casa da Moeda

Segundo a PF, a organização criminosa é fortemente estruturada e hierarquizada, com liderança firme e divisão de tarefas. Casas de câmbio participavam das ações do grupo, colaborando com a compra de dólares utilizados na negociação. O grupo possui ligações políticas e usava empresas fantasmas e contratos com órgão público municipal para lavar o dinheiro obtido com o tráfico. Além disso, os criminosos adotavam práticas violentas para aterrorizar inimigos e moradores da região de fronteira.

Durante a investigação foram apreendidas cerca de quatro toneladas de cocaína e dois milhões de dólares, em quinze ações policiais que resultaram nas prisões em flagrante de 32 pessoas. Estima-se, porém, que eram comercializadas até três toneladas da droga ao mês. Foi apurado também que a quadrilha rotulava a droga com a imagem de um herói de histórias em quadrinhos, seguida de uma palavra que identificava o grupo criminoso para atestar a qualidade do produto. A “logomarca” é uma referência ao líder da organização – embora existam outras apreensões de drogas no país e no exterior com esta marca, mas não relacionadas à Hybris.

Participaram da operação 220 policiais federais, que também tiveram apoio do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal. Foram realizadas 36 prisões preventivas, quatro prisões temporárias de trinta dias e 48 buscas e apreensões, nos Estados de Mato Grosso (Cuiabá, Cáceres, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade), São Paulo, Tocantins e Minas Gerais. Entre as apreensões estão bens de alto valor, veículos, fazendas, apartamentos, casas, aeronaves, armas e dinheiro em espécie.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade