Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pezão admite erro da PM em ação que resultou em morte de menino

Laudo da Polícia Civil concluiu que o tiro que matou Eduardo de Jesus, de 10 anos partiu de um fuzil usado por um policial militar

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), admitiu nesta segunda-feira que a Polícia Militar cometeu um erro durante a ação que resultou na morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, baleado na cabeça no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, em 2 de abril.

Em entrevista concedida após um evento em Copacabana, Pezão afirmou que “quem investigou foi a polícia, a própria PM apresentou esses policiais, viu pela localização que tinha tido um erro ali. Agora está se apurando, é lamentável, muito triste e mostra que a gente tem que cada vez continuar a treinar melhor, capacitar melhor os nossos policiais”. O governador ainda lamentou: “É muito triste ver um garoto de 10 anos perder sua vida ali”.

Leia também:

PM afasta 8 policiais participantes da ação que resultou na morte de menino

Três morrem em tiroteios no Alemão

Na semana passada, um laudo da Polícia Civil concluiu que o tiro que matou Eduardo partiu de um fuzil usado por um soldado que integra a UPP no Alemão, como antecipou o site de VEJA. O policial militar que é o principal suspeito de ter feito esse disparo iria prestar depoimento no domingo na Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio, na Barra da Tijuca, mas não apareceu.

O depoimento ocorreria na semana passada, mas o advogado do suspeito apresentou atestado médico segundo o qual seu cliente estava abalado emocionalmente. A licença acabaria no domingo mas, segundo a PM, foi renovada por mais oito dias.

(Com Estadão Conteúdo)