Clique e assine com 88% de desconto

Pela 2ª vez na semana, vidros da Raia Olímpica da USP são quebrados

Obra custou R$ 15 milhões, segundo a Prefeitura de São Paulo

Por Estadão Conteúdo - 20 abr 2018, 09h13

Mais duas partes do muro de vidro que separa a Marginal Pinheiros e a Raia Olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste de São Paulo, amanheceram quebradas nesta sexta-feira. Contatada, a instituição confirmou os danos, mas ainda não deu detalhes sobre o caso.

Na quarta-feira, uma parte da estrutura também foi quebrada e, segundo a Prefeitura de São Paulo, trocada por outro painel que seria utilizado na obra de extensão do muro. A estrutura terá 2,2 quilômetros com a inauguração de outro trecho até maio.

Na ocasião, um vigilante da USP registrou um boletim de ocorrência sobre o caso. Em depoimento, ele disse ter abordado um homem circulando próximo à Raia Olímpica por volta das 2h da madrugada. O homem teria alegado estar procurando a bolsa de uma mulher. Em seguida, ele foi orientado a sair pela portaria, mas acabou fugindo ao saltar pelo muro.

Os painéis são de vidro temperado e têm 3,15 metros de altura, 1,8 metro de largura e 12 milímetros de espessura, com película de proteção. Inaugurada no dia 4 de abril pelo então prefeito João Doria (PSDB), a obra custou R$ 15 milhões, e, segundo a Prefeitura, foi custeada por 45 empresas.

Publicidade