Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pela 1ª vez nesta década, Goldman Sachs amarga prejuízo

Por Da Redação 16 dez 2008, 14h35

Com agência Reuters

O banco de investimentos americano Goldman Sachs, uma das principais instituições financeiras dos Estados Unidos, divulgou nesta terça-feira seu primeiro prejuízo trimestral desde que abriu seu capital, há nove anos. Queda no valor de ações, dívidas e desvalorização de imóveis impactaram o resultado de um dos gigantes de Wall Street, que até agora vinha conseguindo escapar da crise global de crédito.

Apesar da má notícia, o preço das ações do Goldman não caíram. Pelo contrário: os investidores esperavam números ainda piores e pareceram aliviados com o resultado. Com isso, o valor dos papéis disparava quase 10% nesta terça-feira. “O mercado temia que os resultados fossem bem piores, então as ações estão disparando”, explicou Walter Todd, gerente de portfólio da Greenwood Capital Associates.

O banco divulgou o pior resultado trimestral em uma década, sinalizando que o motor que alimentou os fortes lucros do banco em anos recentes pode estar falhando. As receitas dos negócios de banco de investimento, incluindo a divisão de fusões de empresas, despencaram 31%. O Goldman está se reinventando à medida que luta com a crise de crédito que tem forçado os maiores competidores à venda ou fechamento.

Os empréstimos nos mercados de bônus se tornaram caros e incertos para muitas instituições, forçando o Goldman e outros grandes nomes do setor a se tornarem holdings bancárias. Mas essa transformação para um banco regulamentado vai tornar mais difícil a operação do Goldman. “Nós éramos um banco de investimento há 139 anos e somos uma holding bancária há três meses. Ainda somos um pouco novos neste jogo”, afirmou o vice-presidente financeiro, David Viniar.

Cortes – O banco dispensou 2.500 empregados durante o trimestre, uma queda de 8% em relação ao terceiro trimestre, e cortou seus gastos com benefícios e compensações em 46%. O Goldman Sachs sofreu prejuízo de 2,12 bilhões de dólares, ou 4,97 dólares por ação, no quarto trimestre encerrado em 28 de novembro. No mesmo período um ano antes, a instituição teve lucro líquido recorde de 3,2 bilhões de dólares, ou 7,01 dólares por ação.

Analistas esperavam prejuízo de cerca de 3,73 dólares por ação, segundo pesquisa realizada pela agência de notícias Reuters. O Goldman espera receber entre 50 bilhões e 100 bilhões de dólares em depósitos no próximo ano, ante o nível atual de 20 bilhões de dólares. A instituição tinha um total de ativos de 885 bilhões de dólares ao final de novembro, informa o balanço divulgado nesta terça nos EUA.

Continua após a publicidade
Publicidade