Clique e assine a partir de 9,90/mês

Paulo Marinho é um ‘golpista neófito’, diz deputado do PSDB-RJ

Em discurso público, o deputado Luiz Paulo criticou o atual presidente da legenda no estado por fala dada a VEJA nas Páginas Amarelas

Por Maria Clara Vieira - Atualizado em 20 fev 2020, 14h53 - Publicado em 20 fev 2020, 12h53

Filiado ao PSDB desde 1993, o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha manifestou na quarta-feira 19, em discurso na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), sua insatisfação com o atual dirigente do partido no estado, o empresário Paulo Marinho, entrevistado das Páginas Amarelas da última edição de VEJA. Durante a conversa, Marinho afirmou que “a maioria dos velhos caciques (da política fluminense) está presa e os que sobraram não têm relevância” (leia aqui a entrevista na íntegra). “Há muito tempo eu não leio nada tão desrespeitoso”, declarou o parlamentar.

Dirigindo-se à presidência e aos colegas da Alerj, Luiz Paulo afirmou que Marinho, que atuou ao longo de toda a campanha do presidente Jair Bolsonaro, é um “ilustre desconhecido”. “Ele tem todo o direito de dar quantas entrevistas quiser, mas um cidadão que caiu de paraquedas não pode ser crítico àqueles que ajudaram a construir a história do PSDB”, disse o deputado, a VEJA.

A querela entre empresário e deputado teve início no ano passado, quando o governador de São Paulo, João Doria, realizou uma intervenção no PSDB no Rio, transferindo o diretório regional a Marinho, seu amigo pessoal. Além de Luiz Paulo, então dirigente fluminense do partido, a medida irritou também o ex-deputado Otávio Leite, atual secretário de Turismo do governador Wilson Witzel. Leite abandonou a vida partidária.

Desde então, Luiz Paulo procura abandonar o PSDB sem perder o mandato, decisão aceita pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em novembro do ano passado. “Recorri ao TRE porque jamais vou compactuar com um golpista neófito sob o comando de Dória que está destruindo o partido, não sob o ponto de vista só eleitoral, mas sob o ponto de vista ideológico”, ressaltou.

Continua após a publicidade

Em sua fala na Assembleia, o parlamentar afirmou duvidar que o atual PSDB seja capaz de eleger um prefeito ou vereador no estado. Questionado se o partido não teria chances com a candidatura de Mariana Ribas à prefeitura da capital, respondeu: “Será que tem? Eu nem conheço essa cidadã”. Luiz Paulo afirma que já recebeu convites para integrar “partidos bem estruturados” depois de deixar a legenda: “Quando a candidatura de Dória naufragar de vez, quiçá ele (Paulo Marinho) também troque de partido para se manter no poder”.

Publicidade