Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pastor Marcos retira queixa contra líder do AfroReggae

José Júnior era acusado de injúria e difamação, por ter apontado o pastor da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (Adud) como mandante do ataque à ONG

Por Da Redação 24 set 2013, 18h30

O pastor Marcos Pereira, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (Adud), retirou nesta terça-feira a queixa-crime que movia contra o coordenador do AfroReggae, José Júnior. Os dois tinham audiência marcada para este dia no 2º Juizado Especial Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), que foi cancelada. O caso, agora, é considerado encerrado.

A informação foi dada pelo advogado do pastor, Luiz Carlos Silva Neto, na abertura da audiência de instrução e julgamento, mas os motivos não foram revelados. Pastor Marcos acusava José Júnior de injúria e difamação, depois que o líder do AfroReggae o acusou de ter ordenado o ataque à sede na ONG, no Complexo do Alemão. O prédio foi incendiado e, três dias depois, atingido por tiros de fuzil, em agosto.

Leia também:

Leia também: Bandidagem expulsa o AfroReggae do Alemão

Em julho, já havia retirada outra ação movida contra Júnior, pela qual pedia indenização por danos morais, envolvendo o mesmo caso. Depois da audiência desta terça, pastor Marcos foi levado de volta ao Complexo Penitenciário de Bangu, onde está preso desde 8 de maio. No último dia 12, ele foi condenado a 15 anos de prisão pelo estupro de uma fiel de sua igreja, mas responde ainda por outros crimes, como associação ao tráfico.

Leia também:

Pastor Marcos Pereira é condenado a 15 anos por estupro

Pastor Marcos, ‘o conquistador’: grampos flagram conversas do religioso com fiéis

Continua após a publicidade
Publicidade