Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parentes de manifestantes agridem fotógrafos no Rio

Profissionais tentavam registrar a libertação dos 30 presos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, quando foram hostilizados

Parentes e amigos dos 30 manifestantes presos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, agrediram três fotógrafos e um cinegrafista na noite desta-sexta-feira. Os familiares esperavam a libertação do grupo, detido após confronto com a polícia no Centro do Rio, e se revoltaram com a presença dos profissionais que tentavam registrar a libertação.

Entre as vítimas estão os repórteres fotográficos Pablo Jacob, do jornal O Globo, e Carlo Wrede, de O Dia. Um cinegrafista da TV Brasil e um fotógrafo do Jornal do Brasil também foram alvo da agressão, segundo Jacob. Marcos de Sordi, fotógrafo do jornal online Zona de Conflito Mídia Independente, foi acusado por Jacob de ser um dos agressores. Procurado na manhã deste sábado, Sordi negou.

Libertados – Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), os 30 manifestantes foram libertados no início da tarde deste sábado. Desde o dia 17, quando a primeira decisão judicial beneficiou os manifestantes, 52 dos detidos. Dos 10 presos que ainda estão em Bangu, três receberam alvará de soltura e aguardam a liberação. Outros sete permanecerão presos. Os 18 menores apreendidos pela PM no dia 15 não foram liberados. Ao todo, 64 pessoas foram presas no protesto do Dia do Professor no Rio.

Leia também:

Justiça do Rio manda soltar mais 31 manifestantes presos

No Rio, o Black Bloc assumiu o controle da greve dos professores

No Rio, fim da passeata foi a senha para o início da pancadaria

(Com Estadão Conteúdo)