Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Pacote de mudanças tenta reduzir fila de táxis no Santos Dumont

Aeroporto terá ônibus integrado com metrô. Mudança no percurso dos táxis vai permitir que veículos deixem e peguem passageiros na mesma fila

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 28 nov 2013, 15h04

Às vésperas de mais uma temporada de alto movimento de turistas, o ministro Moreira Franco, da Secretaria de Aviação Civil, o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osorio, e o superintendente regional da Infraero, Wilson Brandt, anunciaram na manhã desta quinta-feira um pacote de medidas para tentar desafogar o aeroporto Santos Dumont, porta de entrada de voos domésticos na cidade. O objetivo, além de melhorar as condições dentro do terminal, é dar agilidade ao movimento de táxis para quem usa o terminal.

Entre as mudanças está a criação de um serviço especial de ônibus que vai integrar o terminal de desembarque ao metrô da Cinelândia, no Centro. Segundo Osório, esse serviço já foi usado em grandes eventos, como a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e a Copa das Confederações. A partir do dia 20, no entanto, o ônibus fará o percurso de forma regular, reduzindo a procura por táxis.

Outra medida anunciada foi a realização de obras viárias para permitir que os taxistas que deixam passageiros no terminal de embarque possam também receber pessoas que desembarcam, sem precisar sair das imediações do aeroporto. Hoje, para se deslocar entre os dois terminais, os motoristas precisam fazer um retorno, que, em horários de congestionamento, chega a levar 30 minutos. De acordo com o secretário de transportes, a nova rota vai aumentar a oferta de táxis nos horários de maior movimento e reduzir as filas.

“Queremos implantar as mudanças a tempo das festas de fim de ano e da alta temporada”, disse Moreira Franco. “Eu, como usuário, acho a fila muito tumultuada. Chega a ser desrespeitoso com os que chegam à cidade. A gente vê pessoas gritando, dando broncas umas nas outras e até xingando. O ambiente é muito ruim. Quero que as cooperativas de táxi atendam os usuários de forma mais zelosa”, afirmou o ministro.

Osório também anunciou que a prefeitura vai permitir que a cooperativa AerosDumont, única de táxis comuns autorizada a receber passageiros no Santos Dumont, possa aumentar a frota. Hoje, a cooperativa tem 480 táxis. Apenas nos horários de pico outros taxistas são autorizados a aceitar passageiros no aeroporto. A falta de uma determinação precisa sobre o horário em que taxistas não cooperados podem aceitar passageiros no terminal, no entanto, mantém os profissionais distantes do aeroporto.

“Precisamos ter, pelo menos, mais 200”, disse Antônio Rodrigues, presidente da AerosDumont. Além da AerosDumont, outras cinco cooperativas de táxis especiais operam no aeroporto. Juntas, elas têm 1.000 táxis autorizados a atuar no Santos Dumont e no Galeão. Só o Santos Dumont recebe, em média, 30 mil passageiros por dia.

Leia também:

Aeroporto da Olimpíada de 2016 é uma prova de resistência para os passageiros

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês