Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ônibus que caiu de viaduto tinha vistoria vencida e 47 multas

Último licenciamento do veículo que despencou de viaduto foi feito em 2011. Multas - 14 por excesso de velocidade - somam R$ 4,4 mil

O ônibus da Viação Paranapuan que despencou na Avenida Brasil de um viaduto na região de Bonsucesso, Zona Norte do Rio de Janeiro, na tarde de terça-feira, estava com a vistoria anual obrigatória do Detran-RJ vencida. De acordo com o site do Detran-RJ, o último licenciamento do coletivo, placa KYI 0973, foi feito em 2011. O acidente resultou na morte de sete pessoas. Outras duas vítimas estão internadas em estado gravíssimo.

Fabricado em 2007, o ônibus acumula 47 multas desde 2008, que somam 4.400 reais, segundo a página da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) na internet. A última infração foi registrada em 19 de março, às 14h03, por transitar na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, acima da velocidade permitida. Há outras 13 multas por excesso de velocidade, e 12 por avanço de sinal. Já a vistoria feita pela SMTR estava em dia: a última ocorreu em 3 de julho do ano passado, e tem validade de um ano.

Os mortos foram identificados pelos bombeiros como Luiz Antônio do Amaral, de 41 anos; Marcius Flávio do Nascimento, de 36; Oséas da Silva Cardoso, de 39; Ângela Maria Reis da Silva, de 62; Francisco Batista de Souza, de 40; José Aparecido de Jesus, de 41; e Luciana Chagas da Silva, de 26. Até as 9 horas desta quarta-feira, apenas o corpo de Marcius já havia sido retirado por parentes no Instituto Médico-Legal (IML) para sepultamento. Ele será enterrado às 16 horas, no Cemitério de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

O motorista do ônibus, André Luiz Souza Oliveira, de 33 anos, está internado no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ele teve fratura na perna, traumatismo craniano e está em estado de choque. O quadro dele é estável. O delegado José Pedro Costa da Silva, da 21ª Delegacia de Polícia (Bonsucesso) chegou a conversar com ele informalmente na noite de terça-feira, mas quer ouvi-lo de novo porque o motorista não estava em condições de prestar depoimento.

Investigações – Segundo o delegado José Pedro da Silva, da 21ª DP (Bonsucesso), uma discussão entre o motorista e um passageiro pode ter motivado o acidente. Uma das hipóteses é de que o braço do motorista teria sido puxado durante a briga, o que pode ter desgovernado o veículo.

Passageiros que escaparam ilesos contaram que um passageiro reclamou da velocidade exagerada com que o ônibus era conduzido. O motorista teria dito que quem estivesse descontente deveria comprar um carro. Outra linha preliminar de investigação da Polícia Civil aponta para a possibilidade de o ônibus ter saído da rota após bater em um caminhão.

(Com Estadão Conteúdo)