Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Oito modelos acusam donos da revista Playboy de assédio

Dono da publicação teria proposto sexo e pedido fotos delas nuas em troca de novas oportunidades

Por Da redação Atualizado em 24 abr 2017, 10h09 - Publicado em 24 abr 2017, 09h01

Um grupo de oito modelos acusa os responsáveis pela publicação da revista Playboy no Brasil de assédio sexual. A informação foi dada no programa Fantástico, da TV Globo, domingo.

  • Segundo elas, em troca de trabalho, o empresário André Luís Sanseverino, um dos donos da publicação no país, teria proposto sexo e pedido fotos delas nuas. As denunciantes haviam participado da festa de relançamento da revista como “coelhinhas da Playboy”, em agosto do ano passado, em Florianópolis (SC), e disseram que nunca mais foram chamadas depois de recusarem os pedidos.

    Após a festa, Sanseverino teria enviado mensagens às modelos condicionando, segundo elas, novas oportunidades na revista em troca de sexo.

    Outro dono da editora, Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva, também teria assediado as modelos durante a festa.

    As modelos entraram com processo contra os dois empresários pedindo indenização por danos morais e lucros cessantes. Ao Fantástico, os dois sócios negaram ter assediado as mulheres.

    RESPOSTA

    A revista é editada atualmente pela PBB Entertainment, que, em nota, afirmou à TV Globo que André Sanseverino foi afastado por tempo indeterminado. Confirma a nota na íntegra:

    Continua após a publicidade

    “A PLAYBOY BRASIL declara que repudia toda forma de desrespeito contra a mulher. 

    Informamos que decidimos pelo total afastamento do sócio André Sanseverino, por prazo indeterminado, de quaisquer atividades relacionadas à PLAYBOY.

    Assim, qualquer declaração dada por André Sanseverino não reflete em absolutamente nada os valores da PLAYBOY. O mesmo encontra-se afastado da empresa e não responde mais pela mesma.

    Acreditamos de forma franca e honesta que ele deverá colaborar para elucidar os fatos até que as denúncias sejam apuradas.

    A PLAYBOY, ao longo de sua história, vem coadjuvando em defesa e em busca da liberdade e empoderamento das mulheres, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. E não será diferente neste momento.

    Atenciosamente,
    PBB EDITORA S.A”

    Continua após a publicidade
    Publicidade