Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O pequi da discórdia

Lei estadual que proíbe derrubada de pequizeiros quase impediu instalação da Ambev em Sete Lagoas (MG)

A presença da Ambev em Sete Lagoas (MG) criou 1.200 empregos e 860 milhões de reais em investimentos para a cidade. Mas para a indústria instalar-se foi preciso vencer a burocracia que assola muitos negócios no Brasil.

Até 2007, uma lei estadual de Minas Gerais impedia a derrubada de pequizeiros, muito comuns no cerrado. O terreno adquirido pela empresa tinha 405 deles.

Leia também:

Sete Lagoas: nascida para o alto

​De volta à luz

O Ciclo do Ouro não acabou em Minas

Essa burocracia custou 2 milhões de reais para Ambev e ainda gera gastos mensais de 250 000 reais em manutenção.

Infográfico: A Expedição VEJA, quilômetro a quilômetro

Mural: A Expedição nas redes sociais

Além disso, na hora de firmar o compromisso com a Secretária de Meio Ambiente, a empresa esqueceu de contabilizar duas árvores. Desmatá-las sem cumprir os processos burocráticos seria um crime. Por isso, elas hoje se misturam às estruturas de tratamento d´água da Ambev. E servem para relembrar que negócios no Brasil às vezes podem travar por um simples motivo, como um inocente pequizeiro.

Saiba quando a Expedição VEJA vai chegar a cada cidade
Datas* Cidade
6/5 Jundiaí/SP
7/5 Joinville/SC
9/5 Não-me-toque/RS
11/5 Guarapuava/PR
12/5 Três Lagoas/MS
14/5 Rondonópolis/MT
15/5 Sorriso/MT
17/5 Barra do Garças/MT
18/5 Brasília/DF
19/5 Luis Eduardo Magalhães/BA
21/5 Cristino Castro/PI
22/5 Picos/PI
23/5 São Gonçalo do Amarante/CE
25/5 Iguatu/CE
26/5 Petrolina/PE
28/5 Irecê/BA
29/5 Janaúba/MG
30/5 Sete Lagoas/MG
1/6 Porto Real/RJ
3/6 São José dos Campos/SP