Clique e assine a partir de 8,90/mês

Novos símbolos nazistas são encontrados em escola

Por Da Redação - 18 out 2011, 21h00

Por Equipe AE

São Paulo – A Polícia Civil começou hoje a investigar a pichação racista no muro da Escola Municipal de Ensino Infantil Guia Lopes, no Limão, zona norte da capital paulista. O caso foi registrado como injúria racial no 40ª DP (Vila Santa Maria). A direção da escola acredita que a frase “vamos cuidar do futuro de nossas crianças brancas”, ao lado de suásticas, foi uma reação ao projeto implementado no início do ano, que valoriza a igualdade racial.

Além de suásticas, um detalhe chamou a atenção de peritos que compareceram ao local. Atrás de um caminhão-tanque, no mesmo muro, havia o número “14”, alusivo a slogans do americano David Lane, escritor e fundador de um grupo neonazista conhecido como A Ordem, que defendia a supremacia branca. Ele morreu em 2007, em uma prisão nos Estados Unidos.

Ao lado do “14” estava pichado também o número “88”, usado por grupos neonazistas como forma de fazer a saudação “heil Hitler”. O oito representa o “H”, oitava letra do alfabeto. Para o delegado Antonio de Padua de Souza, do 40º DP, o caso pode ter relação com alguma pessoa vinculada à escola e que esteja descontente com o projeto pedagógico de igualdade racial. Mesmo assim, ele pretende solicitar a ajuda da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). “Às vezes, a delegacia especializada tem fatos semelhantes registrados em outras áreas”.

Continua após a publicidade
Publicidade