Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Novo secretário de Defesa Civil pede voto de confiança

Simões diz que antecipação salarial foi o possível e apela para a volta à normalidade, que inclui a libertação dos presos. Bombeiros prosseguem com manifestações

Por Cecília Ritto 9 jun 2011, 20h03

“A normalidade a que me refiro é ter o quanto antes a solução para esses profissionais que estão presos. É claro que esses homens são necessários à tropa, são bons profissionais, e a volta deles será muito oportuna”

O novo comandante geral do corpo de bombeiros, Sérgio Simões, que a partir desta quinta-feira assume a nova secretaria estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, disse que a antecipação de 5,75% do reajuste salarial dos bombeiros foi uma clara demonstração do governo de que é necessário repor o poder aquisitivo da corporação. Mas é o que foi possível no momento. Simões fez um apelo pela volta à normalidade, e mandou um recado claro sobre o ponto nevrálgico da crise – a prisão dos 439 bombeiros. “A normalidade a que me refiro é ter o quanto antes a solução para esses profissionais que estão presos. É claro que esses homens são necessários à tropa, são bons profissionais, e a volta deles será muito oportuna”, disse.

Em tom otimista, Simões disse a corporação está sendo prestigiada com a nomeação de seu comandante como secretário – condição que lhe dá mais força para negociar. E pediu um voto de confiança. “O recado é para que os bombeiros confiem no esforço do governo para que no menor tempo possível tudo se resolva”, disse, acrescentando que gostaria de poder dizer que os bombeiros fluminenses têm o melhor salário do Brasil, e que sua meta é garantir melhores condições para a corporação.

Até o momento, a antecipação do reajuste só vale para este ano. A partir de 2012, volta o programa atual de reposição, de 1% ao mês. Com a antecipação, o salário de um soldado que ingressa hoje, sem dependentes, passa de 1.187 reais para 1.265 reais, o que objetivamente muda muito pouco a situação. Por isso, Simões disse que vai verificar junto à secretaria de Planejamento se existem alternativas de valores ou prazos que se traduzam em ganhos mais palpáveis.

Os bombeiros continuam fazendo manifestações nas escadarias da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) pelo quinto dia consecutivo. Acampados desde sábado, eles têm por objetivo principal a libertação dos bombeiros presos. Um grupo de deputados estaduais, que tem defendido a corporação desde sexta-feira passada, apresentou uma proposta de Emenda Constitucional que concede anistia aos bombeiros presos. Simões, no entanto, não acha que esse seja o caso neste momento. “Anistia é uma espécie de perdão para um julgamento já concluído. Não fica claro para mim anistiar um procedimento que não foi julgado”, explica.

Pela manhã, os bombeiros presos no quartel da corporação em Charitas, em Niterói, pintaram uma grande faixa para chamar a população à passeata em apoio a corporação, que acontecerá no próximo domingo na praia de Copacabana. Familiares também foram ao local para engrossar a convocação à caminhada.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)