Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No Rio, protesto se volta contra as empresas de ônibus

Passeata saiu da Candelária com destino à sede da Fetranspor, no Centro

Um dia depois do prefeito Eduardo Paes anunciar a criação de um conselho e de uma comissão para aumentar a participação popular nas decisões relativas ao transporte urbano, as empresas de ônibus do Rio de Janeiro viraram alvo de uma nova manifestação. Cerca de 5.000 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, se reuniram no Centro da cidade para uma passeata que saiu da Candelária com destino à sede da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros, que responde por mais de 80% do transporte público no estado.

Leia: Rio começa a abrir dados sobre empresas de ônibus

A primeira parada foi na Cinelândia – trajeto tradicional em grande parte das manifestações da capital. Seguindo um carro de som, manifestantes caminhavam de forma pacífica e podia-se ver até bandeiras de partidos de esquerda tremulando ao fundo, sem qualquer confusão. A PM, que reforçou o policiamento na região, acompanhou o ato formando o cordão de isolamento nas laterais, à frente e atrás do grupo. Bancos e estabelecimentos comerciais encerraram as atividades mais cedo e as fachadas foram protegidas com tapumes.

Leia mais:

Leia mais: Depredações no Rio chegam a 3,5 milhões de reais

No meio do caminho, houve um pequeno impasse. Parte dos manifestantes se recusava a seguir depois da Cinelândia. Isso porque o prédio da Fetranspor, que a essa altura já era cercado por um contingente de policiais, fica muito próximo à Assembleia Legislativa (Alerj) – palco de depredação e agressões no protesto de segunda-feira da semana passada. A argumentação de quem queria encerrar o ato mais cedo era de que todas as vezes em que se passou da Cinelândia, ficou difícil controlar a ação de vândalos. Mas por volta das 19 horas, eles decidiram ir em frente.

Leia também:

Leia também: CPI dos Ônibus já tem cheiro de pizza no Rio

Internet – No Facebook, o grupo que convocou a mobilização registra como vitória a revogação do aumento das passagens de ônibus na cidade, mas destaca uma lista de mais reivindicações, como a libertação de todos os presos durante protestos, a desmilitarização da polícia e o fim das privatizações, entre outras. “O movimento é contra qualquer projeto por parte do governo do estado de caráter privatizante tanto nas áreas de esporte (destacando-se o Complexo do Maracanã) quanto da saúde, educação, segurança, infraestrutura e obviamente do transporte público.”

Leia também:

Leia também: Redes sociais indicam baixa adesão aos próximos protestos no Rio

Copa das Confederações – Para este domingo, dia da final da Copa das Confederações no Maracanã, um novo ato está marcado. O ‘Copa pra Quem?’ convoca as pessoas a se reunirem na Praça Sans Peña, na Tijuca, Zona Norte da cidade, às 10 horas. Até o início da tarde desta quinta, mais de 14.300 pessoas haviam confirmado presença no Facebook. Elas pretendem caminhar até o estádio, protestando contra o processo de concessão. “O caráter deste ato é pacífico”, enfatiza o evento criado na rede social.

Vídeo: Protesto no Rio termina em pancadaria e destruição (20/6)

Leia também:

Segurança reforçada na final da Copa das Conderações

Justiça nega pedidos de prisão “em aberto” feitos contra manifestantes no Rio

‘Ninguém vai proteger vândalos’, diz governador do Rio

Beltrame considera acionar Exército para protestos no Rio

Leia mais: PM vai usar bomba de efeito moral com dobro da potência

O MP, agora, também vai às ruas protestar

http://videos.abril.com.br/veja/id/ae7090066c854c06a4c4ba43031908ea

17h30 – Manifestantes chegam de metrô ao Centro do Rio

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/8ae6f93a53db4af3c4448cc8f588ac6a

18h – Em coro, multidão chama mais pessoas para as ruas

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/8ee5fff4f0e0cc4128fdbf43080d20d0

18h15 – Chuva de papel picado dos prédios da Av. Rio Branco

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/7b690cf011a1ced73eba0676d720fa18

18h45 – ‘Sem violência’, pedem manifestantes

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/6d13e4d284664be721a6d6f9e36e848b

19h30 – Policiais que faziam segurança da Alerj são atacados

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/73a3e75da6a04ed0e1fa493ff49c4d93

19h40 – Vândalos invadem e depredam prédio da Alerj

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/3711ca8bacb76fdc1aa75bc825d7cbde

19h55 – Policiais atiram ao alto para conter baderneiros

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/e40713e0d3b4f1ea3a01a2bd4549b945

20h – Policiais são apedrejados e agredidos

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/be359badb5268b8de0de54155dcfb4db

20h25 – Vândalos viram carro que seria incendiado depois

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/f2ffd964b95c52bebf2e2b1e6259a3ca

20h50 – Carro é incendiado no entorno do Alerj

.

http://videos.abril.com.br/veja/id/1d6e1aa45ec21fa557db830e4d6062e1

21h10 – Bombeiros chegam e são ovacionados pela multidão

.