Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

No Congresso, Dilma pede harmonia entre poderes

Presidente ressalta combate à miséria, reforma política e melhoria do gasto público como prioridades de sua gestão. Texto foi escrito por Palocci

Por Gabriel Castro e Luciana Marques 2 fev 2011, 16h47

Em um discurso de 30 minutos na abertura dos trabalhos do Congresso Nacional, a presidente Dilma Rousseff pediu que os poderes trabalhem em parceria para erradicar a pobreza e destacou a reforma política e a melhoria do gasto público como metas de sua gestão. Dilma também anunciou que enviará ao Parlamento uma proposta para nortear, a longo prazo,o reajuste do salário mínimo. A cerimônia na tarde desta terça-feira marcou a entrega da mensagem em que o Executivo lista as prioridades da legislatura ao Parlamento.

O texto lido pela presidente foi escrito pelo ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. Logo no início, Dilma ressaltou a meta de erradicação da miséria no país: “O Brasil não pode aceitar mais que milhares de pessoas continuem vivendo na miséria, que não tenham alimentação suficiente, um teto para viver e condições fundamentais de vida. É vergonhoso que no país capaz de produzir no ano passado 149 milhões de toneladas de cereais, leguiminosas e oleoginosas ainda haja cidadãos que passem fome”.

A presidente destacou, por diversas vezes, a necessidade de uma ação conjunta entre o governo federal, estados e municípios. E pediu “uma parceria entre governadores e prefeitos para continuar a desenvolver nosso país, aperfeiçoando nossas instituições e fortalecendo nossa democracia”. Dilma disse que sua gestão deve trabalhar em harmonia com o Congresso Nacional. A petista, que não era obrigada a entregar a mensagem pessoalmente aos parlamentares, tenta iniciar o governo construindo uma relação positiva com o Congresso – já que nunca teve grande proximidade com o Legislativo.

A petista destacou ainda que a estabilidade econômica será um valor absoluto do novo governo, e se comprometeu a enviar ao Congresso Nacional propostas de uma política de longo prazo para o reajuste do salário mínimo. O discurso também destacou a necessidade de criar uma “política macroeconômica consistente capaz de gerar um longo ciclo de crescimento sustentado”.

Dilma Rousseff, bastante assediada pelos parlamentares antes de subir ao microfone, foi aplaudida por diversas vezes durante o discurso. A ovação mais intensa ocorreu quando ela disse que irá trabalhar pela reforma política. Sorrindo, a presidente repetiu o trecho e foi novamente aplaudida.

Ao final do discurso, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que enviou uma carta à presidente pedindo que ela entregasse pessoalmente a mensagem ao Congresso, gritou: “Volte sempre, presidente!”. Dilma apenas sorriu.

Confira outros temas abordados por DIlma Rousseff:

Chuvas: A presidente afirmou que o governo vai elaborar um sistema nacional de prevenção e alerta para casos de desastres naturais, como o que atingiu a região serrana do Rio de Janeiro. “Não podemos e não iremos esperar o próximo ano, as próximas chuvas, para chorar as próximas vítimas”.

Continua após a publicidade

Educação: Dilma prometeu aumentar a oferta de vagas nos ensinos Básico e Médio, auxiliar as prefeituras na construção de creches e valorizar os professores.

Saúde: A presidente se comprometeu a trabalhar para aumentar a oferta de medicamentos, valorizar as práticas de prevenção e investir 5,5 bilhões de reais na construção de Unidades Básicas de Saúde, pontos de apoio ao programa Saúde da Família.

Segurança: “Trabalharemos permanentemente para garantir a presença do estado em todas as regiões mais sensíveis à ação da criminalidade”, disse a petista. Ela ressaltou a necessidade de uma parceria entre os entes da federação.

Cultura: A promessa é de investimentos para valorizar a produção e a exportação dos bens culturais do país.

Infraesturutra: Dilma afirmou que o governo vai investir 956 bilhões de reais no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 até 2014. Reafirmou a meta de construir 2 milhões de casas pelo Minha Casa, Minha vida. E disse que os aeroportos do país serão ampliados.

Pré-sal: A presidente garantiu que vai trabalhar para que a maior parte dos recursos do petróleo do Pré-sal seja investida na melhoria das condições de vida dos brasileiros.

Meio-ambiente: “O crescimento da estrutura e da produção industrial ocorrerá em sintonia com a preservação ambiental”, afirmou a presidente.

Relações Exteriores: Dilma Rousseff disse que a diplomacia brasileira será guiada pelo busca da paz, o multilateralismo, a não-intervenção e o respeito aos direitos humanos. Ela também ressaltou que o governo continuará pleiteando uma reforma no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Gasto público: Em seu discurso, a presidente se comprometeu a trabalhar pela melhoria do gasto público, com o aumento do peso dos investimentos em detrimento dos gastos de custeio.

Continua após a publicidade

Publicidade