Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Nível do Cantareira volta a subir após 8 meses de queda

Temporal dos últimos dias elevou o volume de seis reservatórios que abastecem a Grande São Paulo. Nível do Cantareira subiu de 6,7% para 7%

Por Da Redação 24 dez 2014, 09h45

As chuvas fortes que atingiram a Região Metropolitana de São Paulo nos últimos dias elevaram pela primeira vez desde abril o nível do Sistema Cantareira. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o volume armazenado subiu de 6,7% na terça para 7% nesta quarta-feira. O último aumento havia sido registrado no dia 16 de abril, quando o volume cresceu de 12% para 12,3% – na época, o reservatório ainda não contava com as duas cotas do volume morto.

Os outros cinco mananciais que abastecem a região também tiveram alta. O Sistema Alto Tietê, que enfrenta uma crise semelhante ao Cantareira, aumentou de 10,5% para 11,1%. O nível do Guarapiranga subiu de 36,6% para 38,3%; Alto Cotia, de 30,2% para 31,5%; Rio Grande, de 66,7% para 69%; e Rio Claro, de 25,8% para 32%. Juntos, os seis sistemas fornecem água para mais de 20 milhões de pessoas.

O nível do Cantareira estava estagnado em 6,7% da sua capacidade original desde a última sexta – antes, vinha apresentando sucessivas quedas. Desde o início da semana, a Grande São Paulo se deparou com um nível de pluviosidade acima do normal para o ano de 2014, considerado o mais seco da história. Se por um lado os temporais encheram as represas, por outro, causaram inúmeros trantornos para os moradores da região: diversos pontos foram alagados, crateras se abriram nas ruas e a queda de uma árvore chegou a provocar a morte de uma pessoa.

Leia também:

Chuva abre cratera na Dutra; alagamento bloqueia rodovia

Continua após a publicidade
Publicidade