Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nível de todos os reservatórios sobe. Cantareira vai a 6,4%

Chuva acumulada em fevereiro sobre o manancial já chega a 70% da média histórica do mês, segundo a Sabesp

O nível do Sistema Cantareira subiu 0,3 ponto porcentual nesta quarta-feira e chegou a 6,4% de sua capacidade, segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Trata-se da sexta alta consecutiva, impulsionada pelas chuvas que têm caído sobre a região do manancial. Na terça-feira, a pluviometria foi de 19,7 milímetros e o acumulado do mês já chega a 140,8 milímetros – a média histórica de fevereiro é de 199,1 milímetros. O nível dos outros cinco mananciais também subiu.

O Cantareira não registra nenhuma queda há dez dias, período em que o manancial conseguiu recuperar 1,4 ponto porcentual da sua capacidade. Reportagem desta quarta-feira do jornal Folha de S. Paulo informa que as precipitações de fevereiro já provocaram o adiamento da decisão sobre o racionamento na Grande São Paulo.

Leia também:

Datafolha: 60% apoiam rodízio de água em São Paulo

“O aquecimento global não é o vilão da crise hídrica de São Paulo”

Jundiaí: a cidade paulista onde não falta água

Outros mananciais – Além do Cantareira, outros cinco mananciais tiveram aumento. Proporcionalmente, o Guarapiranga foi, mais uma vez, quem teve a maior alta, de 0,8 ponto porcentual. O reservatório opera com 55% da capacidade, ante 54,2% do dia anterior. Já o Sistema Rio Grande subiu 0,4 ponto porcentual, para 79,2%.

O Alto Tietê subiu 0,2 ponto porcentual e está com 12,9% – número que leva em conta 39,4 bilhões de litros do volume morto. Já o Sistema Alto Cotia subiu 0,4 ponto e opera com 33,7%. O Rio Claro cresceu 0,1 ponto, a 31,4%.