Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nenê Constantino tem nova prisão preventiva decretada

Réu em dois processos, empresário é acusado de obstruir investigação judicial

Por Da Redação - 2 mar 2011, 04h04

O juiz Marcos João Guimarães, do Tribunal do Júri de Taguatinga (DF), decretou a prisão preventiva do empresário Nenê Constantino, fundador da empresa de aviação Gol. Trata-se do terceiro pedido de prisão de Nenê em menos de um ano.

O empresário poderá cumprir a determinação judicial em sua residência, recurso permitido pela Justiça por causa da idade do réu – 79 anos.

Nenê é acusado de ser o mandante da tentativa de assassinato do próprio genro, Eduardo Alves Queiroz, em 2008, caso que já levou o empresário à cadeia, em dezembro do ano passado, além de ser suspeito de ter mandado matar o líder comunitário Márcio Leonardo de Souza Brito, morto a tiros em 2001, quando ocupava um terreno de propriedade do empresário.

Após confessar em depoimento que cometeu oito homicídios a mando de Nenê, incluindo o de Brito, o pistoleiro João Marques dos Santos sofreu um atentado no último dia 18 de fevereiro na porta de sua casa. Levou três tiros, mas recupera-se em um hospital de Brasília, no qual foi registrado com nome falso para questões de segurança.

Publicidade