Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MP do RJ quer ouvir delator do petrolão sobre presidente da Transpetro

MP pede autorização à Justiça Federal para interrogar Paulo Roberto Costa em processo que apura enriquecimento de presidente licenciado da Transpetro

O Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro solicitou à Justiça Federal no Paraná que autorize o depoimento do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que cumpre prisão domiciliar, em um inquérito que apura “incompatível aumento de renda” do presidente licenciado da Transpetro Sérgio Machado – indicado para o cargo pelo presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) e citado na Operação Lava Jato.

“Indispensável a oitiva de Paulo Roberto da Costa” afirma a promotora de Justiça Glaucia Maria da Costa Santana no inquérito aberto em 2010 para apurar “suposta evolução patrimonial incompatível com a renda do presidente da Transpetro”. Ao lado do doleiro Alberto Youssef, Paulo Roberto Costa é um dos principais alvos da Lava Jato. Ele fez um acordo de delação premiada e citou pelo menos 32 parlamentares como beneficiários de propinas no esquema de corrupção da Petrobras.

A promotora não cita o nome de Sérgio Machado no pedido, mas a ele se refere dentro do inquérito instaurado em 2010 – quando Machado já presidia a subsidiária da Petrobras, responsável pela transporte de petróleo e derivados da estatal. Indicado por Renan, ele ocupou até a segunda-feira da semana passada a presidência da Transpetro, quando pediu afastamento do cargo após ter seu nome envolvido na Lava Jato.

Leia também:

Youssef: “O Planalto sabia de tudo!” Delegado: “Quem do Planalto?” Youssef: “Lula e Dilma”

Paulo Roberto Costa afirmou em depoimento no dia 8 de outubro à Justiça Federal em Curitiba que recebeu de Machado 500.000 reais em dinheiro, referente a propinas atrasadas, na negociação de um navio. Machado, segundo o delator, foi entregue no próprio apartamento do ex-presidente da Transpetro, no Rio. Titular da 6ª Promotoria de Cidadania do Rio, a promotora solicitou ao juiz federal Sérgio Moro, que preside as ações penais da Lava Jato – que resultaram na prisão de Costa – a autorização para ouvir Costa em sua casa.

(Com Estadão Conteúdo)