Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Advogado admite que atropelador da Augusta estava embriagado

Estudante de engenharia Paulo Cesar Negri, de 23 anos, saía de uma casa noturna em São Paulo

Por Da redação Atualizado em 29 jul 2017, 18h59 - Publicado em 29 jul 2017, 18h57

O universitário Paulo Cesar Negri, de 23 anos, estava embriagado quando atropelou cinco pessoas ao subir na calçada da Rua Augusta, na Zona Oeste de São Paulo, na manhã deste sábado. Duas das vítimas ficaram gravemente feridas e foram encaminhadas ao pronto-socorro do Hospital das Clínicas. Outras duas pessoas foram hospitalizadas – uma levada para a Santa Casa e outra para o PS João 23. Os hospitais não informaram detalhes sobre o estado de saúde dos pacientes.

O estudante de engenharia foi detido após os atropelamentos. Ele se submeteu ao teste do bafômetro, que acusou o índice de 0,73 miligramas de álcool por litro de ar – a partir de 0,34, o motorista já é enquadrado em crime de trânsito.

O advogado de defesa do jovem, Noel Ricardo Maffei Dardis, informou que o jovem voltava de uma casa noturna quando “levou uma fechada” e perdeu o controle do veículo. “Quando foi fechado, ele bateu em um poste e apagou. Ele tem consciência de que estava errado, mas diz que não foi por causa da bebida que perdeu o controle. Ele havia tomado algumas cervejas, mas considerava que tinha condições de dirigir”, declarou o advogado.

O acidente aconteceu por volta das 6h na altura do número 1.280 da Augusta, entre as ruas Matias Aires e Fernando de Albuquerque. No local, havia grande aglomeração de pessoas em volta de um carrinho que vendia sanduíches. O delegado da 78º DP (Jardins) aguarda informações da Polícia Militar para finalizar o registro da ocorrência e definir se Negri será indiciado e terá prisão decretada.

Continua após a publicidade
Publicidade