Clique e assine a partir de 8,90/mês

Morte em treinamento faz PM do Rio investigar excessos

Recruta de 27 anos passou mal durante um curso no dia em que a sensação términa na cidade passou dos 52°C. Morte cerebral foi constatada na segunda

Por Da Redação - 19 nov 2013, 13h34

A Polícia Militar do Rio de Janeiro investiga a circunstância do treinamento de recrutas que levou à morte cerebral de Paulo Aparecido Santos de Lima, de 27 anos. Ele participava de atividades do curso preparatório da PM em 12 de novembro, quando se sentiu mal.

Depois de ser atendido pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Marechal Hermes, na Zona Oeste do Rio, ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) no mesmo dia. A morte cerebral foi constatada no HCPM na noite de segunda-feira e a condição do recruta é considerada irreversível.

A PM já abriu procedimento para apurar responsabilidades por excessos no treinamento realizado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praça da PM (CFAP). No dia 12, a temperatura no bairro Sulacap, Zona Oeste, passou dos 42ºC, com sensação térmica que superou os 50ºC. O treino teria incluído exercícios extremos sob o calor.

Leia também:

Leia também: Calor tira ônibus de circulação no Rio

Recrutas que não conseguiam acompanhar o ritmo de esforço seriam obrigados a sentar sobre o asfalto escaldante ou recebiam banho de água gelada, provocando choques térmicos. O grupo de recrutas da 5ª Companhia Alfa tinha 490 pessoas, das quais 33 passaram mal. Dentre eles, 18 teriam sofrido queimaduras nas nádegas ou nas mãos.

Continua após a publicidade

Leia também:

Ex-PM é condenado a 30 anos de prisão no Rio

As UPPs perdem força como cabo eleitoral para 2014

Prefeitos reclamam da migração de criminosos de favelas pacificadas

PM do Rio culpa protestos por aumento da criminalidade

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade