Clique e assine a partir de 8,90/mês

Morre morador de rua queimado enquanto dormia no DF

Edivan da Lima Silva, de 48 anos, teve 63% do corpo queimado; ataque aconteceu na quinta-feira

Por Da Redação - 5 ago 2013, 09h37

Morreu na noite desta sexta-feira o morador de rua Edivan da Lima Silva, de 48 anos, que teve 63% do corpo queimado em um ataque na noite anterior. Ele dormia com um grupo de moradores de rua em uma praça quando três homens encapuzados se aproximaram, jogaram gasolina na vítima e atearam fogo. Silva chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Guará, cidade do Distrito Federal a 10 quilômetros de Brasília.

Segundo informações da Agência Brasil, Silva teve queimaduras de terceiro grau em 27% do corpo, inclusive na região da cabeça. A polícia trabalha com suspeitas de briga entre moradores de rua, mas o alvo seria outro homem que também estava na praça e que conseguiu fugir – e não Edivan, considerado um rapaz tranquilo pelas pessoas que viviam com ele.

A polícia já ouviu três testemunhas do caso, que contaram que os moradores foram surpreendidos quando estavam em volta de uma fogueira. Silva era o único que dormia no momento do crime e, por essa razão, os policiais acreditam que ele não conseguiu escapar. O caso está sendo investigado pela 4ª Delegacia de Polícia, em Guará.

Índio Galdino – Em abril de 1997, cinco jovens de classe média – sendo um menor de 18 anos – atearam fogo ao corpo do índio pataxó Galdino Jesus dos Santos enquanto ele dormia em um ponto de ônibus, em Brasília. Ele morreu no dia seguinte. Em 2001, os maiores de idade foram condenados a 14 anos de prisão.

Continua após a publicidade
Publicidade