Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Morre morador de apartamento que explodiu no Rio

O alemão Markus Muller, de 51 anos, teve 50% do corpo queimado. Causa da explosão foi instalação inadequada de equipamento de gás

Morador do apartamento que explodiu no Rio de Janeiro, o alemão Markus Muller, de 51 anos, morreu na madrugada desta quinta-feira no Hospital Pedro II, em Santa Cruz, Zona Oeste da cidade. Ele estava internado no hospital desde a semana passada.

A explosão ocorreu há dez dias e foi causada por um vazamento de gás. O apartamento do alemão no Edifício das Canoas, em São Conrado, Zona Sul, ficou completamente destruído. Noves outras unidades foram muito danificadas. O impacto da explosão arrancou janelas e arrebentou paredes, que ficaram em pedaços de concreto.

Markus Muller teve 50% do corpo queimado e foi levado inicialmente para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, e de lá transferido, dois dias depois, para o Centro de Tratamento de Queimados, unidade especializada no Hospital Pedro II, mas não resistiu aos ferimentos. Muller chegou a conversar com médicos e disse que teria sido vítima de um assalto e de tortura – mas os atendentes desconfiam de um surto.

O diretor do Instituto de Criminalística Carlos Éboli Sérgio William disse que a explosão no apartamento 1001, do prédio de 72 apartamentos, foi provocado pela má instalação do gás na cozinha. De acordo com William, ficou comprovado tecnicamente que a peça que deveria vedar o gás utilizado no fogão não foi rosqueada com a pressão adequada, causando o vazamento. “A conclusão da perícia é de que o ocorrido foi um acidente. Foram constatados também azulejos [posicionados] sobre azulejos. Essas reformas atuais acarretam isso, pois aumentam a profundidade da peça de recepção e impedem a fixação total do rabicho”, disse William.

Também ficou constatado que a instalação do equipamento era recente e que o uso do interruptor levou à explosão. “Houve imperícia, negligência e imprudência”, afirmou o diretor.

(Com Agência Brasil)