Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministra Cármen Lúcia cobra divulgação de salários de juízes

Em reunião com presidentes cortes estaduais, presidente do STF pediu transparência nos dados para mostrar que nem toda remuneração acima do teto é ilegal

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúciacriticou, em encontro com presidentes dos Tribunais de Justiça (TJs) a falta de transparência dos magistrados em relação a divulgação de dados e informações sobre a remuneração de juízes e desembargadores de todo o Brasil. “Eu preciso desses dados para mostrar que nem todo ‘extrateto’ é uma ilegalidade. Não compactuamos com ilegalidades. Sem isso fica difícil de defender”, disse a ministra.

Segundo a juíza, os tribunais não estão cumprindo a ordem de divulgar informações completas sobre o salário dos magistrados. Apenas 7 dos 27 Tribunais de Justiça entregaram, até às 18 horas desta segunda-feira, os dados exigidos ao Conselho Nacional De Justiça (CNJ).  “Eu entreguei a todos uma planilha no dia 20 de outubro. Até hoje [segunda], dia 4 de dezembro, não recebi as informações de novembro e dezembro”, disse a ministra.

De acordo com Cármen Lúcia, alguns tribunais tentaram dificultar o acesso aos dados de remuneração. Ela afirma que testou pessoalmente alguns sites das cortes para testar o nível de transparência e disse ter ficado “horrorizada” quando teve que passar por pelo menos 18 “cliques” para conseguir encontrar a lista com as informações. Desde a semana passada o CNJ  tem disponibilizado uma lista de salários e benefícios recebidos por juízes e desembargadores.