Clique e assine com até 92% de desconto

Ministério Público pede que Yeda perca o cargo

Por Da Redação 5 ago 2009, 17h40

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Sul entrou nesta quarta-feira com uma ação civil pública contra a governadora do estado, Yeda Crusius (PSBD) e outras oito pessoas por improbidade administrativa. A ação é resultado da Operação Rodin do Polícia Federal, que investigou desvios no Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O MPF pede que Yeda e os demais envolvidos na ação percam seus cargos.

O documento também pede o bloqueio de bens ou valores que os acusados tenham auferido ilicitamente e seu ressarcimento aos cofres públicos. Os promotores que compõem a força-tarefa que investiga desdobramentos da fraude que apurou desvios de 44 milhões de reais do Detran no final de 2007 não detalharam as acusações que farão contra a governadora e as outras pessoas relacionadas na ação alegando que há impedimentos legais para isso.

Aliados de Yeda e deputados da oposição estranharam o comportamento adotado pela governadora nos últimos dias. Depois de uma semana em Canela, na Serra Gaúcha, ela voltou às atividades na segunda-feira, mas não compareceu à reunião de coordenação de governo que estava agendada. Ontem faltou a outro compromisso agendado, o lançamento da Expointer, ao meio-dia, e à noite viajou de novo para Canela.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade