Clique e assine com 88% de desconto

Ministério Público investigará morte de garota no Hopi Hari

Nova perícia técnica será realizada no brinquedo nesta segunda-feira. Polícia pretende ouvir, ainda esta semana, pais da garota e funcionários do parque

Por Da Redação - 27 fev 2012, 15h00

O Ministério Público do Estado de São Paulo em Vinhedo, no interior de São Paulo, vai investigar as causas da morte da adolescente Gabriella Yukari Nichimura, de 14 anos. Ela caiu do brinquedo La Tour Eiffel no parque de diversões Hopi Hari, na última sexta-feira.

De acordo com informações do promotor criminal de Vinhedo, Rogério Sanches, o MP fará uma investigação criminal paralela às apurações da Polícia Civil. O promotor informou que irá ao parque nesta segunda-feira, acompanhando um perito do MP. “Que houve negligência me parece evidente”, disse o promotor. Quero saber em qual nível, grau e momento. Se foi na manutenção do brinquedo ou na fiscalização da segurança”.

Leia também:

Hopi Hari: polícia investiga se falha causou morte de menina

Publicidade

Parque Hopi Hari reabre após morte de adolescente

Segundo Sanches, a promotoria também vai analisar o caso do ponto de vista do consumidor, levando em consideração o número e capacitação de funcionários, quesitos de segurança, primeiros socorros e questões técnicas do parque, como manutenção.

Nova perícia- O delegado responsável pelo caso, Álvaro Santucci Noventa Júnior, informou que também voltará ao parque nesta segunda-feira e que nova perícia técnica deverá ser feita no brinquedo. O delegado ouvirá, ainda nesta semana, os pais da menina, funcionários do parque e visitantes.

A polícia já ouviu quatro testemunhas na última sexta-feira. Três delas disseram ter visto a trava do brinquedo abrir. A primeira a depor foi a auxiliar de escritório Cátia Carmélia Damaceno, de 30 anos. “Eu tinha acabado de passar pela catraca quando o brinquedo subiu e olhei para cima. No momento da freada, a trava abriu e a vi caindo. Somente a cadeira dela estava com a trava levantada”, disse aos jornalistas, após falar com o delegado.

Publicidade

Neste sábado o Hopi Hari informou, por meio de nota oficial, que a empresa possui profissionais habilitados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), que envia representantes para visitas técnicas periódicas ao local. O parque garantiu que, diariamente, uma vistoria em todos os brinquedos é feita por engenheiros antes da abertura dos portões, .

Acidente- Gabriella estava a uma altura entre 20 e 30 metros do chão quando caiu. A garota tinha dupla nacionalidade (japonesa e brasileira), morava no Japão com os pais e uma irmã mais nova e estava em férias com a família na casa de parentes, em Guarulhos.

A menina chegou a ser levada ao Hospital Paulo Sacramento, em Jundiaí, por uma Unidade de Terapia Intensiva Móvel que estava no parque, mas chegou morta ao município vizinho. O corpo da adolescente foi enterrado neste sábado, em Guarulhos.

(Com Agência Estado)

Publicidade