Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ministério Público do Rio denuncia padre por estupro de três menores

Um jovem de 16 anos e dois menores de 13 anos teriam sido abusados no interior da Paróquia Nossa Senhora da Esperança

Por Da Redação
24 jan 2019, 17h12

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o padre Antônio Paes Júnior pelos crimes de estupro de três menores no interior de uma igreja em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Ele teria abusado sexualmente de um jovem de 16 anos e dois menores de 13 anos no interior da Paróquia Nossa Senhora da Esperança.

Com o jovem de 16 anos, as investigações conduzidas pelo MPRJ mostraram que, no dia 14 de março do ano passado, “o denunciado constrangeu o jovem, mediante ameaça, em razão do temor reverencial, a praticar e permitir que com ele praticasse ato libidinoso”.

Segundo o Ministério Público, aproveitando-se da “confissão comunitária”, o padre chamou o jovem para se confessar individualmente, “afirmando ter reparado que o mesmo estava muito nervoso e, após ficarem em local isolado, praticou o ato”.

No caso dos dois menores de 13 anos, o crime ocorreu no dia 29 de março do ano passado. Conforme a denúncia, Paes Junior aproveitou-se “do respeito e da confiança que a vítima depositava nele devido à sua função paroquial e colocou uma das crianças em seu colo no momento em que estava sozinho com a mesma, tomando a sua confissão”.

Quanto ao outro menor, diz a denúncia: “em data que não pôde ser precisada, porém no mesmo mês de março, o padre aproveitou que a criança estava na sacristia da igreja vendo suas vestes para a celebração da missa, por se tratar de um coroinha, para praticar os atos libidinosos”.

Continua após a publicidade

Em nota, o MPRJ informa que o pároco foi denunciado no Código Penal com base nos artigos 213 (estupro, com pena prevista de reclusão de 6 a 10 anos) e 217-A (estupro de vulnerável, com pena prevista de reclusão de 8 a 15 anos).

A assessoria da Arquidiocese de Niterói informou, por meio de nota, que a parte denunciada até o momento do contato não tinha recebido do Ministério Público a acusação oficial e o seu conteúdo.

(Com Agência Brasil)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.