Clique e assine com até 92% de desconto

Ministério alerta sobre falta de recursos em asilos para idosos

Em documento, Damares Alves diz que instituições abrigam 78 000 pessoas da terceira idade e carecem de produtos para combater o coronavírus

Por Thiago Bronzatto Atualizado em 26 mar 2020, 13h37 - Publicado em 26 mar 2020, 12h58

Com o avanço do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil, asilos e casas de abrigos para idosos têm reclamado da falta de recursos e pedido ajuda ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para comprar produtos de prevenção contra a pandemia. Segundo a responsável pela pasta, Damares Alves, desde janeiro deste ano essas instituições deixaram de receber uma verba importante para atender cerca de 78 000 pessoas da terceira idade — que se enquadram no grupo de risco da doença.

ASSINE VEJA

A guerra ao coronavírus A vida na quarentena, o impacto da economia, o trabalho dos heróis da medicina: saiba tudo sobre a ameaça no Brasil e no mundo
Clique e Assine

Preocupada com essa situação, a ministra Damares Alves solicitou que Paulo Guedes, chefe da equipe econômica, libere recursos para atender as necessidades das casas de abrigos de todo país. Segundo Damares Alves, essas “instituições estão sem o repasse dos recursos do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) desde o mês de janeiro do corrente ano” e têm “demandado auxílio para aquisição de produtos e insumos destinados a prevenção e manuseio clínico do contágio com COVID-19”.

  • Com a liberação de verba para as casas de abrigos para idosos, segundo a ministra, será possível reduzir os quadros clínicos de urgência e evitar o aumento no número de mortes provocadas pelo coronavírus no país, já que a doença tem afetado principalmente pessoas acima de 60 anos de idade.

    Procurado, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disse que o assunto deve ser comentado pela pasta da Cidadania, responsável por administrar os recursos destinados às casas de abrigos para idosos. Questionado, o ministério da Cidadania informou que “determinou que seja reforçada a prioridade das políticas e ações voltadas para idosos que garantam que essa camada da população seja a mais protegida por todas as medidas de restrição social neste período de quarentena”. A pasta ainda informou que anunciou um aporte de 200 milhões de reais no Sistema Único de Assistência Social.

    Continua após a publicidade
    Publicidade