Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Menina é baleada em tiroteio no Complexo da Penha, área ocupada por militares

Exército informa que equipe foi atacada por bandidos armados. Vítima teria sido ferida por estilhaços de bala

Os moradores do Complexo da Penha – área ocupada por militares das Forças Armadas na zona norte do Rio – voltaram a viver, nesta sexta-feira, o pânico das balas perdidas. A menina Franciele dos Santos Silva, de 7 anos, foi atingida por estilhaços de bala. De acordo com informações passadas pelo Exército, bandidos dispararam contra uma das guarnições da Força de Pacificação presente nos Complexos da Penha e do Alemão, ocupados no final de 2010.

Uma nota oficial ainda será divulgada pelo Comando Militar do Leste. Por enquanto, os militares negam que tenha havido troca de tiros. Franciele foi levada ao hospital Getúlio Vargas pelo Exército e já recebeu alta.

A presença de uma vítima de tiro confirma, de forma drástica, a presença de bandidos armados dentro das áreas ocupadas – o que vinha sendo negado. A força de pacificação admitia a presença de criminosos, mas negava a presença de armas pesadas. Na terça-feira, 6 de setembro, os militares foram atacados. Os tiros que iluminaram o céu na ocasião, durante a noite, teriam partido de morros vizinhos, ainda não ocupados. O comandante militar do Leste, general Adriano Pereira Júnior, atribuiu a investida dos traficantes a uma revolta com a permanência do Exército, estendida até junho de 2012.

LEIA TAMBÉM:

O desafio de falar a língua do Alemão

General do Exército expõe problemas da ocupação e falhas da polícia no Complexo do Alemão

Comandante militar do Leste admite que houve excessos do Exército no Alemão

Exército vai apertar o cerco no Complexo do Alemão

A pacificação em xeque: manutenção do Exército no Alemão é irregular

A guerra de informação do tráfico de drogas no Alemão