Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Marinha confirma: barco que naufragou estava superlotado

Delegacia Fluvial de Brasília abriu inquérito para apurar causas do acidente que matou duas pessoas. Outras nove estão desaparecidas

Por Luciana Marques 23 Maio 2011, 14h48

A Marinha informou nesta segunda-feira que o barco que naufragou por volta de 20h30 no domingo em Brasília estava superlotado. Segundo o órgão, a embarcação Imagination era autorizada a transportar até 90 pessoas e dois tripulantes. Mas, até agora, a informação do Corpo de Bombeiros é de que 93 pessoas foram resgatadas, duas morreram e oito estão desaparecidas. Ou seja, o barco estava navegando acima de sua capacidade.

“Há indícios de que havia superlotação, mas não quer dizer que em uma embarcação daquele porte colocar cinco ou seis pessoas a mais possa levar ao naufrágio”, ponderou o comandante da Delegacia Fluvial de Brasília Rogério Leite.

A delegacia informou que a embarcação sofreu vistoria em novembro de 2010, quando renovou o Certificado de Segurança da Navegação – CSN, estando dentro das normas previstas para este tipo de embarcação. Na ocasião, o Material de Salvatagem (coletes, extintor de incêndio e bóias) encontrava-se de acordo com as especificações e na quantidade prevista.

Ainda segundo a Marinha, o condutor da embarcação no momento do acidente, Airton da Silva Maciel, possui carteira de habilitação. Uma equipe da Delegacia Fluvial de Brasília permanece no local apurando as causas do acidente e auxilia na busca das vítimas desaparecidas, realizada pelo Corpo de Bombeiros. O órgão deve concluir em 90 dias o inquérito que abriu para investigar as causas e as condições da embarcação no momento do acidente, como o número de coletes salva-vidas.

A Delegacia Fluvial diz ainda que mantém uma equipe de inspeção pronta para atuar no Lago Paranoá 24 horas por dia, com pelo menos quatro militares. A fiscalização, realizada inclusive no período noturno, é intensificada nos dias em que há um maior movimento de embarcações no lago, que são sábados, domingos e feriados.

Entre janeiro a abril deste ano, o número de notificações no Lago Paranoá cresceu 59% em relação ao mesmo período do ano passado. O número de embarcações apreendidas cresceu 350%.

Vítimas – Muitos familiares aguardam informações sobre as vítimas no Instituto Médico Legal (IML). Outros se dirigem ao clube Ascade (Associação dos Servidores da Câmara dos Deputados) em busca de informações sobre os desaparecidos. Alguns parentes ainda estão em estado de choque.

Continua após a publicidade
Publicidade