Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Marcha da maconha reúne 200 pessoas no Rio, diz PM

Por Da Redação - 19 jun 2012, 17h30

Por Bernardo Moura

Rio – Cerca de 200 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, participam nesta terça-feira da marcha da maconha, que pede a legalização da droga no País, na Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo. Em sua maioria jovens, os manifestantes cantam: “um, dois, três, quatro, cinco mil, vamos legalizar a maconha no Brasil”.

Trinta policiais militares e homens da guarda municipal acompanham o grupo. A marcha começou às 16h20, horário que, segundo os organizadores, é conhecido mundialmente como adequado para fumar a erva. O colombiano Ruben Baqueiro, que veio à cidade para a Rio+20, acha absurda a criminalização. “A sociedade tem que entender que a maconha não causa dano”, disse Baqueiro.

Um dos organizadores do movimento, o sociólogo Renato Cinco defende a liberação do consumo da erva. “A maconha tem vários usos. As pessoas só conhecem o uso recreativo. Com a proibição, o mercado da droga vira um monopólio do crime, que rende milhões de dólares para os criminosos. Se legalizarmos, vamos diminuir a violência”, opinou.

Publicidade