Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marcelo Piloto será transferido para presídio federal de Catanduvas (PR)

Traficante estava preso no Paraguai e assassinou uma mulher que o visitou no último sábado

O narcotraficante brasileiro e integrante do Comando Vermelho (CV), Marcelo Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, ficará detido no presídio federal de Catanduvas, no Paraná, considerado de segurança máxima. Ele estava preso em Assunção, no Paraguai, e foi expulso do país nesta segunda-feira (19), transferido para Foz do Iguaçu, no Paraná, pelas autoridades paraguaias.

O Ministério da Segurança Pública confirmou que o destino de Piloto será Catanduvas, mas não deu detalhes sobre a operação de transferência. Havia um pedido de extradição feito pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Justiça, mas, com a transferência ao Brasil, o pedido perde o objeto. Segundo o ministério, Marcelo Piloto pode responder aqui no Brasil pelo crime que cometeu no Paraguai. O caso agora passa para a Polícia Federal.

Marcelo Piloto foi mandado de volta ao Brasil após ser acusado de assassinar uma jovem mulher que visitou no sábado (17), no grupamento especializado da Polícia Nacional paraguaia. Conforme a imprensa paraguaia, o brasileiro usou uma faca de sobremesa para golpear seguidamente a jovem Lidia Meza Burgos, de 18 anos.

O assassinato da mulher foi confirmado pelo chefe do grupamento, Germán Real Medina. Após ouvir gritos, os agentes foram ao local e encontraram a mulher ensanguentada. A vítima chegou a ser levada para o Hospital de Barrio Obrero, em Assunção, mas não resistiu. O corpo passou por perícia e foi levado ao necrotério oficial.

O narcotraficante foi entregue às 7 horas à Polícia Federal brasileira, na Ponte da Amizade, que liga a cidade paraguaia de Ciudad del Este, a Foz do Iguaçu, no Paraná. De acordo com a imprensa paraguaia, o narcotraficante brasileiro foi levado de Assunção a Ciudad del Este em um helicóptero da polícia brasileira. Durante o transporte até a fronteira, Marcelo Piloto teve o rosto coberto e usou um colete à prova de balas da Polícia Nacional.

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, deu a notícia da expulsão do traficante em um post no Twitter. “Decidi expulsar Marcelo Pinheiro, vulgo “Pilot” do Paraguai. O nosso país não é uma terra de impunidade para ninguém”, escreveu o líder. Marcelo Piloto é condenado na Justiça do Rio de Janeiro a uma pena de 26 anos de prisão. No Paraguai, ele estava preso por homicídio e falsificação de documentos. Chegou a ser aberto ainda um processo para sua extradição, atendendo a pedido da Justiça brasileira.