Clique e assine a partir de 8,90/mês

Manifestantes depredam agências bancárias na Av. Paulista

Grupo marchou em apoio aos atos que pedem a saída de Sérgio Cabral no Rio

Por Felipe Frazão - 26 jul 2013, 20h58

Manifestantes depredaram agências bancárias nesta sexta-feira na Avenida Paulista, na região central de São Paulo. Cerca de 300 pessoas participaram de um ato em apoio aos protestos no Rio de Janeiro contra o governador Sérgio Cabral (PMDB). A Força Tática da PM acompanhava o protesto e depois do quebra-quebra arremessou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar o grupo. Doze manifestantes foram detidos para averiguação, mas liberados logo em seguida.

Segundo informações da PM, o ato começou pacífico, com cerca de 80 pessoas, mas degenerou em vandalismo. Pelo menos dez agências bancárias foram destruídas com pedradas e barras de ferro. Encapuzados e vestidos de preto, os vândalos destruíram as fachadas das agências. Uma cabine da PM foi derrubada e depredada. O grupo também pichou uma estação do metrô e tentaram colocar fogo em um carro da Rede Record. Eles empunhavam bandeiras negras, que costumam ser levadas pelo grupo Black Bloc – de inspiração anarquista. Alguns também levavam a bandeira vermelha e preta do anarco-comunismo. Não há relatos de ter ocorrido confronto com a PM antes de a depredação começar.

Pauta – Além de apoiarem os cariocas que protestam contra Cabral, os manifestantes da Paulista reclamaram da atuação da PM do Rio. Eles fecharam a Paulista e caminharam do Masp em direção ao bairro do Paraíso, empunhando uma faixa com os dizeres “Vaza Cabral”. Alguns levavam cartazes com a pergunta sobre o caso do pedreiro desaparecido na Favela da Rocinha: “Onde está Amarildo?”. Havia pelo menos uma faixa também contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Durante toda a semana da Jornada Mundial da Juventude, houve uma série de protestos paralelos na capital fluminense contra Cabral.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade