Clique e assine com até 92% de desconto

Líderes da rebelião em Natal são transferidos de presídio

Cinco suspeitos de comandar motim que resultou na morte de 26 presos foram retirados da penitenciária de Alcaçuz

Por Da redação Atualizado em 16 jan 2017, 22h53 - Publicado em 16 jan 2017, 22h36

Apontados como líderes da rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, cinco detentos foram transferidos na tarde desta segunda-feira após a entrada das forças de segurança no presídio. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Cidadania (Sejuc), os presos transferidos pertencem ao Primeiro Comando da Capital, facção responsável pelo motim que culminou com 26 mortes no último fim de semana.

Os presos foram levados para a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em Natal, para prestar depoimento. De lá, serão transferidos para outra unidade prisional. A localização futura dos presos não foi informada pela Sejuc com o argumento de que isso contraria protocolos de segurança.

Na noite de segunda, integrantes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar continuavam no interior da unidade prisional. Os policiais do Bope entraram no presídio acompanhados de agentes penitenciários para retomar o controle da penitenciária.

  • A transferência dos presos ocorreu após negociação com a polícia, depois que as forças de segurança fizeram buscas nos pavilhões 4 e 5 e identificaram os cinco suspeitos. De acordo com a assessoria da Sejuc, a situação no momento está “tranquila”. Os presos receberam água e alimentação. O batalhão do Bope vai permanecer no local para a manutenção da segurança.

    Mais cedo, a Sejuc admitiu a possibilidade de haver mais mortos. Os corpos poderiam estar nas fossas existentes no interior da unidade. Uma equipe da Companhia de Águas e Esgotos do estado (Caern) chegou a se posicionar nas imediações do presídio aguardando a ação da polícia para realizar a inspeção. Mas, segundo a Sejuc, o trabalho foi adiado para esta terça.

    Governo

    Na tarde desta segunda-feira, o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), disse, por meio de sua conta no Twitter, que vai pedir ao governo federal o aumento no contingente da Força Nacional de Segurança Pública no estado. O governador virá a Brasília nesta terça para se reunir com o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, e solicitar o reforço do efetivo da Força Nacional para o enfrentamento à crise instalada no sistema penitenciário.

    (Com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade