Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Leilão de aeroporto de Natal fica para agosto

Concessão da obra foi adiada em um mês. Na terça-feira, assessor do Ministério do Esporte disse que aeroporto não ficará pronto a tempo da Copa do Mundo

Por Da Redação 8 jul 2011, 11h56

A Secretaria de Aviação Civil publicou nesta sexta-feira no Diário Oficial da União decisão sobre o adiamento do leilão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante (RN). A data inicial de 19 de julho foi alterada para 22 de agosto. Com o adiamento, foi publicado o novo cronograma de eventos. O ministro da secretaria, Wagner Bittencourt, fez questão de descartar as especulações de que o adiamento teria sido provocado pela falta de interessados. “Existem grupos muitos interessados que estão se estruturando”, afirmou o ministro. “Alteramos a data para promover mais a competição e dar tempo para que o mais interessado vença o leilão.” Na terça-feira, o assessor especial do Ministério do Esporte, Ricardo Gomyde, causou controvérsia ao afirmar que o aeroporto não ficará pronto a tempo da Copa do Mundo de 2014. A capital do Rio Grande do Norte é uma das doze cidades-sede do Mundial. De acordo com Gomyde, a construção só será concluída em agosto de 2014. O atraso não foi confirmado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e foi veementemente negado pelo governo do Rio Grande do Norte. São Paulo – Também cidade-sede da Copa, São Paulo corre para construir o Estádio do Itaquerão, que, por enquanto, só existe no papel. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, voltou a defender nesta sexta-feira isenção fiscal para o Corinthians, que construirá o estádio. Em entrevista à Rádio Estadão/ESPN ele explicou por que vetou o artigo do projeto de lei que condiciona a isenção à garantia de que o estádio receberá a partida de abertura da Copa. O artigo foi incluído no projeto pela Câmara Municipal, que aprovou o pacote em segunda votação na semana passada. O projeto concede 420 milhões de reais em isenção ao Corinthians – valor que pode atingir 536 milhões de reais com correção -, para serem investidos no Itaquerão. “Antes mesmo de o Brasil ter sido escolhido como sede da Copa do Mundo, nós já tínhamos para a região uma lei de incentivo. A construção do estádio do Corinthians lá trará desenvolvimento e recursos para São Paulo.” Questionado sobre a possibilidade de conceder isenção fiscal para outros clubes, como o Palmeiras, que irá reformar o Parque Antártica, Kassab foi categórico ao negar a hipótese. “Não. São coisas distintas. Na questão específica do estádio do Corinthians o que está em questão é uma lei de incentivo para uma região.” (Com Agência Estado)

Publicidade