Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Kalil é acusado de sonegação fiscal e omissão de rendimentos

A Fazenda Nacional cobra do ex-prefeito 48 milhões de reais entre multas e impostos não recolhidos

Por Hugo Marques Atualizado em 6 jun 2022, 10h27 - Publicado em 4 jun 2022, 18h10

Os 73 processos que enfrenta na Justiça do Trabalho em Minas Gerais não são a única dor de cabeça para Alexandre Kalil, que anunciou sua candidatura ao governo estadual, com o apoio do ex-presidente Lula. Conforme mostrou VEJA esta semana, o ex-prefeito e suas empresas já foram condenados em mais de 40 processos, por não pagar salários de funcionários e não recolher FGTS e INSS.

Kalil  também é acusado pela Receita Federal de omissão milionária de receitas em pelo menos quatro processos que o acusam de sonegação de Imposto de Renda, PIS, Cofins e Finsocial. O ex-prefeito e suas duas empresas, Erkal e Fergikal, estão inscritos na Dívida Ativa da União com débitos que somam 48 milhões de reais. Trata-se de uma dívida consolidada na esfera administrativa, que será cobrada judicialmente.

A partir do levantamento do sigilo bancário e fiscal das empresas, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) descobriu uma série de irregularidades. “A omissão de receitas é flagrante”, concluíram os procuradores. Foram detectadas movimentações de  dezenas de milhões de reais sem que isso fosse declarado ao Fisco.

No caso da Fergikal, dizem os procuradores, “a contradição salta aos olhos” quando se percebe que mesmo tendo declarado recebimento de receitas ao Fisco em 2011, 2012 e 2013, a empresa movimentou valores milionários em suas contas nos anos anteriores e posteriores a este período. “Cita-se, como destaque, a movimentação de quase 15 milhões de reais em 2009, de mais de 10 milhões de reais em 2010 e de mais de 20 milhões de reais em 2014. “Qual seria a origem e o real proprietário desses montantes?”, questionam os auditores.

Kail falou a VEJA sobre os processos da Fazenda Nacional. “Eu sou empresário. Você já olhou quantos a Andrade Gutierrez tem, que a Odebrecht tem, que a Petrobras tem? A Justiça é para isso”. 

Há algumas semanas,  o ex-prefeito firmou uma aliança política com o ex-presidente Lula. Ele acredita que isso pode catapultar sua campanha ao governo do Estado. Atualmente, as pesquisas mostram ele em segundo lugar, atrás de Romeu Zema, o atual governador.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)