Clique e assine a partir de 9,90/mês

Justiça liberta mais um alvo da operação que levou Temer à prisão

Desembargadora considerou que a realização de prisões para interrogatório é inconstitucional; outros oito alvos seguem detidos, entre eles Michel Temer

Por Da redação - 24 mar 2019, 20h24

A desembargadora Simone Schreiber, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, determinou na tarde deste domingo a libertação do empresário Carlos Jorge Zimmermann. Ele é o segundo preso da Operação Descontaminação a ter o pedido de habeas corpus atendido. Entre os alvos da Operação feita pelo Ministério Público Federal e a Polícia Federal do Rio de Janeiro, estão o ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro Moreira Franco e outras oito pessoas.

No despacho, a desembargadora estende a Zimmermann a decisão que libertou ontem o empresário Rodrigo Castro Alves Neves. Os dois foram presos em caráter temporário, diferente dos outros oito presos na operação, cuja reclusão é preventiva, o que inclui Temer e Moreira Franco.

Zimmermann representava a empresa finlandesasueca AF Consult no Brasil, acusada pela promotoria de agir como intermediária no repasse de propina obtida por meio de contratos com a Eletronuclear.

A desembargadora considerou que prisões, para efeito de interrogatório de investigados, conforme justificado pelo juiz Marcelo Bretas, são inconstitucionais. Para ela, ferem igualmente os princípios de não autoincriminação e de presunção de inocência.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo) 

Publicidade