Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Justiça aceita denúncia contra PMs por morte de menina em escola

Segundo a acusação do Ministério Público, Maria Eduarda, de 13 anos, foi baleada quatro vezes pelos policiais durante troca de tiros em operação na Pavuna

Por Da Redação Atualizado em 10 ago 2017, 12h24 - Publicado em 10 ago 2017, 12h23

A 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro aceitou denúncia contra os policiais militares Fábio Barros Dias e David Gomes Centeno, acusados de fazer os disparos que mataram a adolescente Maria Eduarda Alves da Conceição, 13 anos, em março deste ano. Maria Eduarda estava dentro da escola quando foi atingida pelos tiros.

Segundo o Ministério Público, durante uma operação policial no Morro da Pedreira, por volta das 16h, os dois acusados se posicionaram em frente à Escola Municipal Jornalista Daniel Piza para abordar criminosos que pudessem fugir por aquela rua. A escola funcionava normalmente, já que era uma quinta-feira em horário escolar.

Quando criminosos armados chegaram ao muro da escola, fugindo da operação, os policiais, armados com fuzis, atiraram contra eles, na direção da unidade de ensino. Segundo o MP, quatro desses tiros atingiram Maria Eduarda. De acordo com a denúncia apresentada, os policiais tinham consciência do risco de atingir as pessoas que estavam dentro da escola.

  • Insegurança 

    A adolescente foi mais uma vítima da grave onda de violência que atinge o Rio de Janeiro. Em julho, o presidente Michel Temer (PMDB) assinou um decreto de Garantia da Lei de da Ordem que autorizou o emprego de 8,5 mil militares das Forças Armadas para reforçar a segurança dos cariocas.

    O reforço conta ainda com  620 militares da Força Nacional de Segurança e 1.120 da Polícia Rodoviária Federal, distribuídos em avenidas e outras vias de acesso. Os agentes ficarão na cidade até dezembro de 2018.

    (Com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade