Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jovem é ferida com bala de borracha em protesto no Rio

Mais uma vez, manifestantes e Polícia Militar entram em confronto na Zona Sul

Um novo ato contra o governador Sérgio Cabral terminou em confusão na noite desta terça-feira no Rio de Janeiro. O protesto, que começou em frente ao Palácio Guanabara, seguiu pelo bairro de Laranjeiras, na Zona Sul, após confronto entre manifestantes e policiais militares.

No Largo do Machado, próximo à sede do governo do estado, uma jovem foi atingida na testa por uma bala de borracha. Segundo os primeiros relatos, a estudante ferida não fazia parte do grupo que protestava. Ela foi atendida por médicos voluntários que têm acompanhado os protestos na cidade.

A confusão começou depois que um manifestante foi detido. Um grupo tentou fazer um cordão de isolamento para evitar que ele fosse levado pelos policiais. Como não conseguiram, pedras e outros objetos foram jogados contra a polícia, que revidou o ataque.

Um novo confronto foi registrado pouco depois, na Rua Pinheiro Machado, que teve de ser interditada ao trânsito. Vândalos depredaram placas e lixeiras pelo caminho.

Leia também:

MP do Rio compra software antiterrorismo para identificar mascarados em protestos

‘Crise de RH’: manifestantes pedem reforços para manter ocupações e protestos

Cabral e Paes revogam decisões para conter protestos

Outros atos – À tarde, outro protesto ficou concentrado na esquina onde mora Cabral, no Leblon, também na Zona Sul. O movimento, convocado pela Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amaste), pedia a volta do bondinho de Santa Teresa, que nesta terça completou dois anos parado.

Os professores também voltaram às ruas da cidade nesta tarde, desta vez no Centro. Cerca de mil pessoas fecharam algumas das vias principais no entorno da Câmara de Vereadores. Em greve há mais de duas semanas, eles reivindicam melhores condições de trabalho e reajuste salarial.