Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jovem de 16 anos é morta com 11 tiros no rosto em escola de GO

Raphaella Novinski estava na sala de aula quando foi atingida por ex-aluno; segundo a polícia, ele queria namorá-la, mas era rejeitado

Uma estudante foi morta a tiros nesta segunda-feira 6 dentro de uma escola em Alexânia, Goiás. Raphaella Novinski tinha 16 anos e estava no 9º ano do ensino fundamental do Colégio Estadual 13 de Maio. Ela levou 11 tiros no rosto, disparados por um ex-aluno, de 19 anos, da mesma escola.

 

O assassino,  segundo a delegada Rafaela Wiezel, que assumiu o caso, é Misael Pereira Olair. Em depoimento à polícia, Misael disse que decidiu matar a menina porque “sentia ódio dela”. O rapaz entrou na escola e matou a garota dentro da sala de aula. “Ele contou que tentou namorar Rafaela várias vezes, mas sempre era rejeitado. E, a cada vez que dava errado, ele sentia esse ódio crescendo dentro dele. Foi então que comprou a arma”, afirmou a delegada a VEJA. Misael relatou ter conhecido a menina pelo Facebook e que morava próximo a ela em Alexânia.

A delegada disse ainda que, ao questionar o jovem sobre o motivo de ter atirado no rosto de Rafaela, ele respondeu: “Porque queria que ela morresse logo e não sentisse dor.”

Misael foi preso em flagrante. Junto com ele, a polícia encontrou a arma do crime, uma faca, uma máscara e veneno. “Ele disse que ia cometer suicídio depois de matar Rafaela”, afirmou a delegada. O rapaz foi levado para a Unidade Prisional de Alexânia. A pena pode chegar a trinta anos de prisão, por feminicídio.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Dilmar Saraiva

    Eu não entendi, primeiro fala que o assassino tem 19 anos e depois a reportagem fala que o “adolescente” foi levado pra prisão…Ora, se tem 19 anos não é adolescente, é adulto, e se confessou é assassino confesso…

    Curtir

  2. Samuel Alencar

    O crime literalmente banalizou…

    Curtir

  3. Adolescente com 19 anos. Esse estagiário que escreveu esta matéria deve ser um analfabeto de 50 anos.

    Curtir

  4. Thomas Almeida

    Algumas observacoes: Se o rapaz foi pego em flagrante e ate’ confessou o crime, gostaria de saber porque a revista insiste em usar o estupido termo “o suspeito……” Isso e’ algo odioso. Querida editora Abril acho bom voces demitirem, nao os estagiarios que escrevem, mas quem os contrata, a comecar polo editor, o “esquerdista enrustido”, o André Petry, esse e’ um incompetente quando comparado ao excelente Eurípides Alcântara, bons tempos que a Veja era uma revista confiavel.

    Curtir

  5. ViP Berbigao

    Ê Goyaz!!! O q está acontecendo nesse Estado?

    Curtir

  6. ViP Berbigao

    Terra de covardes!

    Curtir

  7. Johnny Bravo

    Quantos pseudo-editores…
    Leiam a bosta da matéria e pronto, bando de ‘haters’… Peguem a informação e pronto. Se querem escrever melhor, peçam para trabalhar na redação. Mania de todo mundo querer ser crítico acima de tudo. A Internet virou um saco…

    Curtir

  8. Reginaldo Quadros

    Cadê os comunistas defensores de bandidos?????? E outra, como o vagabundo entra na escola de boa sem ter um portão de segurança?????

    Curtir

  9. André Maximiano

    Agora vamos eleger o Bolsonaro para liberar armas pra geral em 2016 já alcançamos o número de mortos de Nagasaki 60 mil, agora vamos bater o recorde de Hiroshima 130 mil, pelo direito de matar Bolsonaro 2018 !!!

    Curtir

  10. wagner da silva de souza

    Pena de morte Urgente!!!!, o mesmo disse que nao se arrepende de forma alguma, ou seja nao pode viver mais em sociedade, o sujeito nao tem alma e quem nao tem alma , com certeza merece a morte!!!!

    Curtir