Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jornalista Clóvis Rossi morre aos 76 anos

Colunista da Folha de S. Paulo, Rossi estava em sua casa, em São Paulo, onde se recuperava de um infarto que teve na última semana

Morreu, na madrugada desta sexta-feira 14, aos 76 anos, o jornalista Clóvis Rossi, colunista do jornal Folha de S. Paulo. A informação foi confirmada pela Folha. Rossi estava em sua casa, em São Paulo, onde se recuperava de um infarto que sofreu na última semana.

O jornalista deixa mulher, três filhos e três netos. Rossi atualizou a coluna pela última vez no dia 7 de junho, quando publicou o texto “As meninas do Brasil, nada poderosas”, sobre a má colocação do Brasil em ranking de igualdade de gêneros da ONG Equal Measures 2030.

“A Folha e o jornalismo brasileiro perdem um de seus principais e mais premiados repórteres, certamente o mais experiente. Clovis era admirado por gerações de profissionais por sua independência de pensamento, disposição e rapidez de trabalho e qualidade de cobertura. Vai fazer muita falta”, declarou o diretor de redação da Folha, Sérgio Dávila.

Rossi atuava no jornalismo desde 1963. Ele passou pelas redações dos jornais Correio da Manhã, O Estado de S. Paulo, Jornal da República e Jornal do Brasil, além das revistas IstoÉ e Autoesporte. Também teve um blog no espanhol El País e estava desde 1980 na Folha de S. Paulo.

Escreveu os livros Clóvis Rossi, Enviado Especial, 25 Anos ao Redor do Mundo e O que é Jornalismo. Entre prêmios jornalísticos que recebeu, a Folha destacou o Maria Moors Cabot, da Universidade de Columbia, e o da Fundação Nuevo Periodismo Ibero-Americano, criada por Gabriel García Márquez.