Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Joesley Batista e meta fiscal nas manchetes de 01/09/17

Empresário da JBS teria comprado silêncio do doleiro Lúcio Funaro

A delação do empresário Joesley Batista voltou às manchetes dos principais jornais do país nesta sexta-feira. O Globo destaca que Batista teria comprado o silêncio do doleiro Lúcio Funaro, enquanto reportagem da Folha de S.Paulo revela que o empresário entregou à Procuradoria-Geral da República mais áudios e dados da delação que envolve o presidente Michel Temer. No Estado de S.Paulo, a frustração de receitas previstas pelo governo pode pôr em risco o cumprimento da meta fiscal do ano. 

O Globo
Joesley pagou por silêncio, afirma operador do PMDB
O doleiro Lúcio Bolonha Funaro, operador financeiro do PMDB que fechou acordo de delação premiada, confirmou ter recebido dinheiro de Joesley Batista, dono da JBS, para permanecer em silêncio e não revelar o que sabe do esquema de corrupção. A informação deverá ser usada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para reforçar a nova denúncia que será apresentada ao STF contra o presidente Temer.

Folha de S.Paulo
Joesley leva à Procuradoria novos áudios com políticos
Joesley Batista entregou novos áudios de conversas que teve com políticos para a PGR, informa Mônica Bergamo. Para evitar ser acusado de omissão, Joesley decidiu revisar todas as conversas gravadas, arquivadas em seu computador, e encaminhar à Procuradoria qualquer diálogo que possa indicar crime.  

Em 16 anos, 1 em cada 5 municípios brasileiros encolheu
Uma em cada cinco cidades brasileiras teve perda na população de 2001 atê 2017, de acordo com dados do IBGE. Entre os atuais 310 municípios com mais de 100 mil habitantes, porém, somente três registraram queda: Ilhéus (BA), Foz do Iguaçu (PR) e Lages (SC). 

O Estado de S.Paulo
Frustração de receita atinge R$ 38,5 bi e põe em risco meta fiscal
De janeiro a julho foram arrecadados R$ 38,5 bilhões a menos de impostos e contribuições federais em relação ao programado no Orçamento, segundo dados do Tesouro. Nos cálculos para chegar à nova meta fiscal, que prevê déficit de R$ 159 bilhões em 2017 – valor que ainda depende de aprovação no Congresso –, o governo estimou frustração de receitas de R$ 50 bilhões para o ano inteiro. Ou seja, 80% do total já se confirmou até julho. 

Valor Econômico
Produção de veículos cresce e muda cenário do emprego
Aos poucos, a indústria automobilística abandona programas de redução de jornada e afastamento de pessoal para adequar seu ritmo a um mercado em recuperação.

Correio Braziliense
Orçamento de 2018 não prevê concursos nem contratações
O projeto de lei orçamentária enviado ontem ao Congresso praticamente elimina a possibilidade de seleções e nomeações em 2018. O PAC foi o mais atingido pelas limitações do Planalto para fazer investimentos: os recursos do programa caíram para R$ 1,9 bilhão.