Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Já são 18 os crimes em série investigados pela polícia em Goiás

Onze vítimas morreram. Semelhança entre os casos faz polícia suspeitar da ação de um serial killer

Por Da Redação Atualizado em 10 dez 2018, 10h26 - Publicado em 6 ago 2014, 15h48

A polícia de Goiás ampliou na terça-feira a relação de casos investigados como mortes em série em Goiânia, incluindo o assassinato de três mulheres e um homem e a tentativa de homicídio de duas jovens. Com isso, a lista de casos investigados subiu de doze para dezoito, com onze mortes.

Leia também:

Polícia apura mortes em GO e não descarta existência de serial killer

Desde janeiro, um motociclista (ou mais de um) tem feito vítimas em locais públicos de Goiânia. A idade das mulheres atacadas varia entre 13 e 29 anos, a maioria delas morenas de cabelos longos que não tiveram nada roubado.

A Polícia Civil de Goiás formou uma força-tarefa com mais de trinta integrantes – entre delegados, agentes e escrivães – para tentar elucidar os crimes. Pela semelhança entre os casos, os investigadores suspeitam da ação de um serial killer.

Continua após a publicidade

Um vídeo divulgado nesta terça-feira pela Polícia Civil de Goiás mostra o suspeito de matar a jovem Ana Lídia de Souza, de 14 anos, em uma motocicleta, pouco após o crime.

https://www.youtube.com/watch?v=XKEHu_hMi8chttps://www.youtube.com/watch?v=w6cz1Z8h710https://www.youtube.com/watch?v=wq5HIgYkt4s

Nesta quarta-feira, a TV Anhanguera levou ao ar uma entrevista com uma das vítimas, que chegou a ser baleada e por pouco não ficou tetraplégica. Ela descreveu o agressor como um homem branco, alto, usando uma jaqueta preta com gola branca.

Segundo a vítima, que estava acompanhada de uma amiga, o homem encostou o revólver em suas costas, mandou que ficasse quieta e então disparou. Ela caiu no chão, e a amiga saiu correndo. O agressor ainda disparou duas vezes contra a jovem que corria, mas errou. A mulher ferida relatou que tem medo de sair de casa e que sofre com pesadelos.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade