Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Idosa morre depois de inalar fumaça tóxica de vazamento em Guarujá

Mulher de 68 anos havia sido internada com náuseas, vômito e dificuldade para respirar. Ela morreu em Jundiaí, interior de São Paulo

Morreu nesta terça-feira Leia Magalhães de Maria , de 68 anos, que na semana passada inalou a fumaça tóxica provocada por um vazamento no porto de Santos. Moradora de Guarujá, ela deu entrada na segunda-feira no Hospital Pitangueiras, em Jundiaí, no interior paulista, para onde foi levada pela família, com quadro de intoxicação respiratória. Desde a última quinta-feira, ela apresentava os sintomas de vômito e náuseas.

Ela será enterrada nesta terça no Cemitério Municipal Vicente de Carvalho, no distrito de Vicente de Carvalho, Guarujá, onde Leia vivia. Um dos filhos da vítima registrou boletim de ocorrência no 6º Distrito Policial de Jundiaí por morte suspeita.

Leia chegou a ser atendida ainda em Guarujá, mas foi liberada. Segundo laudo do Instituto Médico Legal, a idosa morreu devido a uma insuficiência respiratória e pneumonite química causada por inalação de fuligem e gases tóxicos.

Na quinta-feira passada, um incêndio atingiu dezenas de contêineres do terminal de cargas da empresa LocalFrio, no Guarujá, após um vazamento de gás de grandes proporções. O incidente liberou uma grande nuvem tóxica sobre Guarujá, Santos, São Vicente e Cubatão, no litoral sul de São Paulo.

LEIA TAMBÉM:

Nuvem tóxica já atinge 4 cidades do litoral de SP

‘O pior já passou’, afirma especialista sobre riscos da nuvem tóxica