Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hillary elogia liderança da ‘senhora Rousseff’

Por Vera Rosa e Denise Chrispim Marin

Washington – A secretária de Estado norte-americano, Hillary Clinton, definiu o relacionamento dos EUA com o Brasil como “um dos mais promissores” no século 21. Hillary abriu nesta segunda o seminário “Brasil-Estados Unidos: Parceria para o Século 21”, na Câmara de Comércio, antes do encontro entre Dilma e o presidente norte-americano, Barack Obama, na Casa Branca. Diante de mais de 300 empresários que lotaram o auditório da Câmara de Comércio e ao lado do ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, Hillary elogiou a “liderança extraordinária” de Dilma, chamada por ela de “senhora Rousseff”.

A secretária de Estado destacou o interesse do governo americano no programa brasileiro Ciência Sem Fronteiras, que concede bolsas de estudo para alunos no exterior, e disse estar “feliz” com a visita que Dilma fará amanhã (terça-feira) no Massachusetts Institute of Technology (MIT) e à Universidade de Harvard, em Cambridge, na área metropolitana de Boston.

“O Brasil já é uma das maiores democracias do mundo e está se tornando também uma das maiores economias. Nossos países têm de ser parceiros e queremos isso. Só podemos ficar mais fortes trabalhando juntos. Eu aplaudo o compromisso da senhora Rousseff de acabar com a pobreza no Brasil”, comentou Hillary.

Hillary estará em Brasília na próxima semana, para participar do encontro Open Government Partnership (Parceria para um Governo Aberto), no dia 17, no Palácio do Itamaraty. Antes, no dia 16, terá uma reunião com Dilma.

Vistos

Os Estados Unidos vão abrir dois novos consulados no Brasil, um em Belo Horizonte (MG) e outro em Porto Alegre (RS). O anúncio foi feito nesta segunda pela secretária de Estado. Atualmente, os EUA têm consulados em São Paulo, no Rio e em Recife, além de uma seção em Brasília, dentro da embaixada. Todos são cenários de filas para a concessão de vistos de entrada nos EUA.

“Abriremos dois novos consulados no Brasil, um em Belo Horizonte e outro em Porto Alegre. São exemplos de nossa relação ampla, tornando mais fáceis as viagens e derrubando barreiras, mas os avanços que queremos não serão garantidos nem por vistos nem por turismo. Queremos parcerias em ciência e tecnologia”, insistiu Hillary. Ela disse, porém, que a relação bilateral desejada por seu país ultrapassa a questão dos vistos. Hillary não mencionou a negociação para eliminar a necessidade de visto aos brasileiros que ingressam nos EUA, mas há conversas adiantadas nesse sentido.