Clique e assine com até 92% de desconto

Guarda Civil agride morador de rua na Zona Sul de SP

Homem teve os pertences apreendidos pela prefeitura de São Paulo; na abordagem, o GCM joga o morador de rua no chão e o encurrala contra parede

Por Da redação Atualizado em 4 Maio 2017, 11h52 - Publicado em 4 Maio 2017, 11h19

Agentes da Guarda Civil da Metropolitana (GCM) de São Paulo foram flagrados agredindo um morador de rua na Zona Sul de São Paulo nesta quarta-feira. Um vídeo feito por um estudante mostra o momento das agressões e da apreensão de um carrinho de supermercado que carregava alguns pertences do morador.

Nas imagens, um dos três GCMs que participam da ação derruba o homem no chão enquanto outros funcionários da prefeitura retiram o carrinho. Em seguida, o guarda torce o braço do homem para trás e o pressiona contra a parede. O homem, identificado como Samir Ali Ahmed Sati, reclama que foi machucado pelo guarda e tenta se desvencilhar, mas é derrubado novamente com uma rasteira. Os outros dois guardas acompanham a ação.

Chorando, Sati pede para não ter seus pertences apreendidos. “Não leva meus bagulhos, não. Eu não tenho nada. Não leva, não, por favor. Eu não sou ladrão”, diz. O vídeo, postado no Facebook, gerou revolta. Na manhã desta quarta-feira, ele já tem mais de 5 milhões de visualizações e 121 mil compartilhamentos.

  • A gestão Doria informou, por meio de nota, que o guarda envolvido diretamente na ação será afastado. “A Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana vai apurar a conduta dos agentes no procedimento. Preliminar e temporariamente, o guarda envolvido diretamente na ocorrência será afastado das atividades operacionais”, diz a nota.

    O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), classificou a abordagem dos guardas como ” ato condenável”. Em um vídeo, publicado no Twitter, Doria diz que “espera que o fato não mais se repita” e afirma que já solicitou a investigação da conduta do agente, que será afastado, segundo o prefeito.

    A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania admitiu, por meio de nota, que a conduta dos guardas não foi correta. “A conduta dos Guardas Civis Metropolitanos envolvidos na abordagem do mencionado morador em situação de rua não condiz com a política e a orientação da Prefeitura de São Paulo, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e da Secretaria Municipal de Segurança Urbana. Todos os envolvidos serão investigados pela Corregedoria da GCM e a Secretaria de Direitos Humanos irá acompanhar todo o processo”, diz a nota.

    Continua após a publicidade
    Publicidade